Ainda a distância entre linhas. Sector médio a encurtar distâncias. Exemplo na Amoreira.

Num texto recente em que se abordava as diferentes distâncias entre sectores, afirmava:

Para garantir menos distância entre todas as linhas, a linha dos avançados nunca poderá pressionar mais próximo da área adversária. Nunca poderá aproximar em demasia dos defesas (se estiverem baixos) para não esticar o comprimento da equipa no campo. Porque fazendo-o, para manter a proximidade das linhas, os médios teriam de aproximar também. E ai, porque qualquer jogador tem força suficiente para colocar a bola no meio campo ofensivo, qualquer bola longa ultrapassava as duas primeiras linhas defensivas (a dos avançados e médios ) e colocaria os quatro defesas sozinhos para defender um lance perante avançados e até médios adversários que pudessem esconder-se logo nas costas da linha média.

…porque com linha de avançados a defender no último terço não é possível manter proximidade e ao mesmo tempo controlar profundidade… qualquer “balão” entrará nas costas dos defesas mas ainda longe de possível intervenção do guarda redes) e portanto menos passível de controlar o tempo que o adversário “gasta” com bola, quando queres chegar aos golos. Subir linha média com a dos avançados, sempre a pior opção possível, num contexto de Liga portuguesa em que se sabe que sairá bola longa e ficarão apenas os defesas no lance.

Optar por partir, aumentando o espaço entre defesas e médios, a pior opção possível, provavelmente em noventa e nove por cento dos jogos. Dependerá sempre da forma como adversário aproveita a vantagem que terá…

Um exemplo na Amoreira do que por cá se explicava. Porque qualquer jogador sem pressão consegue colocar por cima da defesa se esta colocada na linha do meio campo, a última linha tem de estar uns metros mais baixa. Se médios sobem para acompanhar pressão dos avançados (diferente ir mais um, no caso William, para impedir saída apoiada, de ter os restantes três também subidos sem controlo de distância para a última linha), qualquer bola longa na frente, seja por se vencer a bola no ar, seja por sobrar a segunda bola, causará possibilidade de se chegar a zonas de criação sem qualquer dificuldade. Partir a distância entre linha defensiva e médios é facilitar em demasia o trabalho ao adversário, que nem precisará sequer de ligar três passes consecutivos para poder chegar a um lance de potencial ofensivo elevado.

P.S. – Já passam de duas centenas de utilizadores registados na COMUNIDADE LATERAL ESQUERDO. Esperamos lá por vocês para continuar as discussões sobre este jogo maravilhoso e para discutir um possível encontro ao almoço num fim de semana próximo!

P.S. II – Agradecimento muito grande a todos os que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, é passar por lá. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

Sobre Paolo Maldini 3804 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

4 Comentários

  1. Serviço público! Espero ver-te mais vezes na TV a explicar o jogo… foste tu que ensinaste esta gente toda que agora discute mais a sério.. mas ainda há muitos mais e muito mais para aprender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*