2ª parte do clássico. Benfica sempre mais equipa. FC Porto no jogo pelo individual.

De um lance com imenso potencial perigoso para sair na transição ofensiva para ataque rápido, um erro técnico incrível (porque demasiado espaço para executar) de Pizzi, a qualidade individual de Brahimi e FC Porto empata a partida.

Pizzi que personifica bastante bem a diferença das principais ligas para a liga portuguesa. Um dos melhores da nossa Liga, capaz de pensar com critério todo o jogar de um grande como o Benfica nos jogos domésticos, a somar demasiados erros técnicos e de execução sempre que a velocidade dos jogos aumenta. Terá perdido mais bolas nos três, quatro jogos mais competitivos (nacionais e internacionais) que em toda uma época.

A segunda parte novamente a trazer uma equipa muito mais bem trabalhada, muito mais forte do ponto de vista colectivo que outra que assenta todas as suas virtudes no que é individual.

Apesar de ter usado mais um médio, porque a dinâmica dos posicionamentos defensivos é bastante reduzida, era o FC Porto quem se expunha aos ataques adversários. Mesmo quando estes se iniciavam no guarda redes, não eram necessários muito passes para que o Benfica ligando o jogo no chão chegasse ao último terço com apenas o quarteto defensivo e Danilo aptos para defender o lance.

Poderia ter criado mais e melhor no último terço a equipa encarnada. Entre demérito em muitas decisões e execuções (Mitroglou apareceu só muito espaçadamente, e Jonas continua longe do que mostrou no passado), e mérito na forma como os cinco mais recuados do FC Porto impuseram as suas características, perdeu o SL Benfica a oportunidade para materializar em pontos a superioridade que demonstrou.

Nota final para os dois guarda redes. Casillas ao nível habitual entre os postes, e Ederson com uma saída aos pés de Soares, de nível mundial, impediram mais golos.

P.S.  – Agradecimento muito grande a todos os que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, é passar por lá. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

P.S. II – Para quem precisa de créditos para renovar a cédula de treinador e não tem possibilidade de estar muito tempo fora, ou simplesmente para quem pretende ouvir e saber mais ou diferente, em colaboração com a Bwizer saiu uma formação online comigo. Aqui.

P.S. III – A quem interessar aqui fica o cartaz de um seminário que decorrerá no Instituto Politécnico de Setúbal, onde eu e o Luís Cristóvão daremos brevemente uma palestra.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2941 artigos
Creator of the "Lateral Esquerdo", is also a teacher at the University Stadium in Lisbon. Soccer coach, having conquered several national titles in Portugal. Experience as soccer coordinator, and lecturer at various Sports Universities. Author of the book "Build a champion team" from the publisher PrimeBooks.

9 Comentários

  1. Maldini, foste picado pela síndrome anti-Pizzi? 7 passes para golo, record do campeonato. Perda de bola deu golo do Porto? Então, e os ressaltos todos? E a falta que precede o golo? Pizzi é o melhor médio centro português, só não joga na selecção por factores alheios à qualidade dos jogadores.

    E o banho de bola foi tal, como no ano passado, que o Casillas teve de queimar todo o tempo que pôde, sendo, em simultâneo, mal educado para os adeptos benfiquistas.

    Abraço

    Ps. Já não há mais Podcast? E onde anda o resto da malta do LE?

    • O banho de bola foi tal, que, em comparação com o jogo no Dragão, foi um jogo normal. No Dragão sim, levaram um banho de bola, foram massacrados o jogo todo, e o vosso guarda redes até na primeira parte perdia tempo. Nós tentamos jogar, e estivemos por cima desde que sofremos golo até que marcamos.
      Depois, Pizzi melhor médio centro português? Só mesmo na imaginação lampiónica. Um craque tal, que até contra a Suécia, num particular, não lhe cabia um feijão no cú. Até conseguiu a proeza de, sozinho, tentar fazer um passe com o pé direito, dá-lhe com o esquerdo e lança um contra-ataque adversário.

    • Melhor 2.0: “E a falta que procede o golo?” Conseguiste ver a falta na hora? Foi uma coisa claramente evidente em que só não foi assinalada porque o árbitro não quis? Ou é mais um daqueles lances de televisão? Como a falta do Lisandro no golo do Dragão. Alguém a viu em direto? Não, nem ninguém se queixou. Mas depois aparecem os Pedro Guerra’s desta vida e os carneiros seguem-nos todos.

  2. Olá Pedro!
    Antes de mais, parabéns pelo texto com o vídeo a acompanhar. Os leitores agradecem.
    Em relação ao conteúdo, sem querer contradizer (até porque a tua opinião é mais do que avalizada), mas umas das pechas deste Benfica não se prende com a qualidade colectiva? Ou é em comparação com o FC Porto?
    Ao longo da época, em inúmeras análises aqui e ali, Rui Vitória tem sido criticado precisamente pelo défice na organização ofensiva. Mudou alguma coisa (se é que mudou)?
    Porque sempre se tem dito e escrito que o treinador encarnado depende (muito) da inspiração individual no último terço de terreno. Que, por exemplo (uma vez mais a comparação), Jorge Jesus trabalha melhor os posicionamentos embora, porventura, limitando alguma liberdade.
    Portanto, crês que o Benfica está melhor colectivamente com bola ou, ainda, encontra-se muito dependente dos desequilíbrios individuais dos homens da frente?
    Abraço!

    • Este post fala deste jogo apenas. E é comparativo sim. Ja ha mt q na minha opiniao colectivamente o FCP está mts niveis abaixo de mts eq tugas. N só o SLB!

  3. 7 passes para golo do Pizzi…lol…os gajos do Goalpoint estão em alta.

    Pizzi é isto e nada mais. E não é só nos jogos mais competitivos, é em todos. A diferença é a qualidade do adversário que sendo menor não aproveita tamanhas debilidades do Pizzi.

    Mas como o goalpoint lhe dá sempre nota máxima a malta acha que ele é top quando na realidade é pouco mais que banal e uma das principais razões para o SLB ter o tetra tão tremido.

      • Não é nada craque. Não tivesse ele bons jogadores ao lado e as debilidades ainda seriam mais visíveis. Daquilo que depende exclusivamente dele é arrepiante de tão banal. Ali, a 8. O ano passado a médio direito não foi assim, bem pelo contrário, até rendeu bastante mas a 8 é deprimente de tão mau.

        Aqui, contra o fcp, deu mais nas vistas pq até resultou em golo mas são muitas vezes que perde a bola, muitas sem pressão alguma, que permitem jogadas de ataque perigosas do adversário. E nem falo do que não consegue fazer com bola.

        Faz o que pode, sem dúvida, não lhe critico a entrega e empenho. Quem o coloca ali e quem não dá alternativas ao treinador é que tem culpa. Se o treinador acha que ele serve e não pediu alternativas então tem culpa, obviamente.

        • Ainda agora, contra o Estoril, Pizzi faz um passe espatafurdio à entrada da área do SLB que não deu maior perigo pq os gajos do Estoril foram muito toscos. Nos pés dos jogadores do fcp teria sido mel para eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*