Recortes do Sporting de Braga x Sporting na Pedreira.

Ainda tremenda influência e inteligência de Daniel Podence. Para além da variabilidade que traz ao jogar leonino, quando ocupa a posição de segundo avançado. Não só a mover-se sempre para receber nos melhores espaços, mas também a emprestar velocidade e qualidade de execução e de decisões nos espaços curtos.

William a crescer com a presença de mais jogadores com capacidade para se mostrarem nos melhores espaços. Mais soluções e demonstra toda a sua categoria com bola, ligando a construção com as zonas de criação, como nenhum outro médio defensivo faz em Portugal.

A decisão de Goiano no controlo do cruzamento. Não respeita zona e permite finalização no espaço que deveria ocupar no segundo golo do Sporting, e o não enquadramento no corredor central com espaço para progredir a reduzir hipóteses de sair com perigo na transição ofensiva, aumentando conforto dos centrais adversários.

O golo da vitória. Jogo ligado pelo chão e por dentro, a obrigar adversário a juntar e a dar espaço fora onde quem recebe de Bas Dost (“Até ele sente a evolução. Quando joga a bola já não bate na parede” Jorge Jesus) para cruzar tem mais espaço e mais tempo para perceber o que se passa na grande área e… passar por cima para a finalização do ponta de lança holandês. Muito diferente das saídas de outrora sempre pelo corredor lateral, onde sem espaço se despejava na área.

Sobre Paolo Maldini 3791 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

9 Comentários

  1. Um gajo e todo um modelo começa a fazer sentido. Imagina que tínhamos o Iuri ou o Matheus na esquerda.

    Até o ezekiel parecia jogador.

    Lá para dentro quando há qualidade.

    Um abraço

  2. A partir do segundo 42, William Carvalho dà ao podence, quando estao 7 do braga atràs do podence e da linha de bola para 3 do sporting, e a capacidade do podence fura logo dois com a recepçao orientado no espaço adequado e dà oportunidade de golo. A logica do modelo nao é respeitada, antes do passe sao 3 para 7 mas o William faz essa vertical porque sabe do Podence
    O William que tem muito bola parece outro e tem mais soluçoes porque esses passes tem chances, porque o artista està à frente. Nao hà modelo que resiste ao talento…

  3. Muito obrigado pelo post. Adorei!
    Apreende-se mais depressa com estes exemplos.
    Gostava de ver também os erros da defesa do sporting nos golos do braga , parece me que nos dois há erros graves da defesa…. penso que o Paulo Oliveira falha nos dois mas não tenho os vossos “olhos”

      • Obrigado!
        Penso que o JJ refere na conferencia de imprensa que defensivamente não é o sporting que quer por causa deste tipo de erros…
        Para não falar nos laterais que para equipa grande… não são suficientes.

      • Obrigado!
        este tipo de erros… como se treina isto?
        Para não falar nos laterais que para equipa grande… não são suficientes.

        • n se treina especificamente… qd sao maus dominios…mas intercepções… treina-se jogando… assim vai melhorando relação com bola, decisões… e vai-se errando menos…

  4. E para continuar nessa veia, la està a explicacao do sucesso do real Madrid nas taças que ataca sempre à menos o que lhe permite o equilibrio atras da linha de bola porque tem os melhores no centro do jogo com kroos, modric, benzema e Ronaldo ou bale vindo das alas. Luis Enrique fez igual quando se viu com a MSN. Como digo ha alguns dias, os jogadores sao o elo mais importante no futebol e aquele se atreve a pensar que o seu sistema é o mais importante, arrisca se a ver outros com menos inteligencia mas humilde a ter mais sucessos.

  5. É tão evidente que até parece fácil. Se o Jesus quer voltar ao que o caracterizou – leia-se, títulos – terá que perceber de uma vez por todas que o modelo ou ideia de jogo não existe sem jogadores. Que não é com Schelottos, Zeegelaars, Melis, Andrés, e afins que vai lá, por muito que ele aprecie a componente física.

    O Sporting teve uma oportunidade única para dar minutos de jogo a vários jovens que poderiam entrar na equipa principal na próxima época com outra rotação. Matheus Pereira, Francisco Geraldes e Daniel Podence à cabeça. Mas que ninguém duvida que na próxima época virá outro camião de toscos de 1,80 ao jeito das preferências do treinador.

1 Trackback / Pingback

  1. Ideias de um jogo cada vez mais pensado. Xabi Alonso. – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*