Linhas de passe, arrastamentos. Golaço no Bernabéu.

Longe vão os tempos em que era o portador da bola quem tinha toda a responsabilidade de individualmente criar para depois servir. Hoje, mais do que nunca, quem não tem bola tem de movimentar-se para criar mais condições ao portador. Para aumentar leque de opções.

Ainda é possível observarmos diversos avançados que se mostram incapazes de desmarcar no sentido do corredor lateral, quando tal é tantas vezes o que pede a situação de jogo.

Porque em muitos momentos, desmarcando lá, uma de duas coisas acontecerão. a) traz marcação e liberta o meio; b) não traz marcação e pode receber a bola com espaço e enquadrado para a baliza adversária.

No excelente golo do Sevilha no Bernabéu, o movimento e preponderância de Correa no desfecho final do lance. Mesmo não tocando na bola. Movendo-se para dar mais opções de passe ao portador, arrastou Varane, tirou-o do eixo bola – baliza, obrigando também Ramos a sair a um espaço que não tinha de ser o seu.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3011 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Vi este golo e pensei que poderia vir aqui parar, por ser relativamente simples, mas rápido e inteligente.

    Quanto ao Ramos. Ainda que Varane esteja um pouco “fora do lance”, parece-me que a forma como o Ramos aborda o lance é demasiado precipitada e à queima. Não deixar rodar, certo, mas cair assim quando no seu campo de visão sabe que tem um jogador à frente dele e que este pode explorar o espaço que fica livre quando Ramos cai em cima assim…

    Acaba por tentar emendar o erro do colega, e fazendo-o provoca abertura do próprio espaço e consequentemente golo. E diga-se, não é a primeira vez que se vê Ramos com abordagens deste tipo, o que a meu ver não pode ser de dito melhor centrado do Mundo, como por aí tantas vezes vemos (alguém falou em VM?).

  2. falta mta inteligência a mtos jogadores e treinadores…quantos e quantos arrastos fiz sem o portador perceber o porquê,sem os colegas sem bola aproveitarem esse espaço e pior a levar duras do treinador para nao sair da área…

  3. Os centrais do Benfica não levavam este golo! Porque o Luisão não ía no arrasto. A bola do portador estava coberta, o Luisão de certeza tinha dado passos para a frente, o Lindelof tinha-o acompanhado e tinham-no deixado em fora de jogo e não se teriam desposicionado!
    Os centrais do RM, têm muito a aprender com o RV ou o JJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*