Na grande área nem tudo se altera. Traços de um génio.

A grande área surge para tantos jogadores quase como um microclima onde decisões e competências se alteram.

Há quem perca competência. Ou por dificuldades a finalizar, ou somente porque pisar tal espaço retira qualidade nas decisões. Estar tão perto da meta leva a que muitos procurem mais a sorte que a inteligência. “Vou meter tenso, pode bater em alguém”; “Aqui há que rematar ou cruzar e rápido!”.

Num texto recente do Rodrigo escrevia-se assim.

No recente congresso, ouvimos Luís Castro a reforçar que bola para a área pretende sempre servir os colegas. Diferente de cruzar esperando que alguém apareça.

Depois há um pequeno lote de jogadores a nível mundial que independentemente do espaço que estejam a pisar, decidem sempre bem. Por mais perto que estejam da baliza adversária, ou da sua própria, encontram sempre as soluções certas e que beneficiam a equipa e os colegas que recebem para dar seguimento.

É porque cognitivamente (para além de tecnicamente, obviamente) estão a anos luz de tantos outros que marcam a história deste jogo.

P.S – A palestra de Carlos Carvalhal, bem como a do mister Vitor Pereira estão disponíveis para os patronos. Juntem-se a nós no Patreon! Patronos agora também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2936 artigos
Creator of the "Lateral Esquerdo", is also a teacher at the University Stadium in Lisbon. Soccer coach, having conquered several national titles in Portugal. Experience as soccer coordinator, and lecturer at various Sports Universities. Author of the book "Build a champion team" from the publisher PrimeBooks.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*