Coberturas. Trabalho para Jesus.

Lisboa, 23/07/2016 - O Sporting Clube de Portugal recebeu esta tarde o Olympique Lyonnais em jogo de apresentação da equipa aos sócios, a contar para a pré época 2016/17. Petrovic (D) ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Depois de um passe perdido por Iuri Medeiros, transição ofensiva da equipa turca. A bola entra nas costas da turma leonina, mas o guarda redes consegue interceptar.

Erro de posicionamento de Petrovic que poderia ter possibilitado o primeiro golo na partida.

Com somente três atrás da linha da bola, é importante manter mais que uma linha na situação de jogo. Coates saiu ao portador da bola (contenção) e Petrovic travou ao lado do colega, quando deveria ter baixado mais metros para se colocar numa linha mais recuada, e em diagonal com o central uruguaio. Garantida a cobertura, as dificuldades para o passe de ruptura entrar seria muito maiores, e as possibilidades do Fener chegar ao golo mais diminutas. No jogo, defender e atacar bem tem tudo a ver com posicionar e tomar decisões que aumentem probabilidades de acontecer o que pretendemos. Sabendo sempre que muitas vezes fazendo mal se chega ao resultado e outras fazendo bem, não se chega. O que é certo é que em vinte acções, se o comportamento for sempre o correcto, garantidamente que o sucesso será bem mais elevado do que no conjunto das vinte más acções.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2941 artigos
Creator of the "Lateral Esquerdo", is also a teacher at the University Stadium in Lisbon. Soccer coach, having conquered several national titles in Portugal. Experience as soccer coordinator, and lecturer at various Sports Universities. Author of the book "Build a champion team" from the publisher PrimeBooks.

4 Comentários

  1. Petrovic tem muito que evoluir, apesar do bom trabalho de Luis Castro, é muito mais difícil defender no Sporting, do que numa equipa como o Rio Ave.

  2. Battaglia na segunda parte, parece encaixar como uma luva no modelo de JJ.

    Faz lembrar o Javi Garcia, jogador muito disponível nos duelos e rápido, Jorge Jesus tentou fazer o mesmo com o Samaris por exemplo. Parece-me que caso o William saia o Battaglia leva vantagem!

  3. Dúvida: se ele se colocar mais atrás da linha dos centrais não estará a interferir com a capacidade dos centrais colocarem outro jogador adversário que entre na jogada em fora-de-jogo? No meu entender o limite onde o trinco deveria cair é entre os centrais, e deveria ser ele a sair ao portador e não o central. Portanto acho que esteve mal no sentido da coordenação com o Coates, mas parece-me que recuar não seria defender bem… Ou estou errado?

    • se me permites… estás errado…
      E se os centrais tiverem lá na frente e os avançados cá atrás? Como fazes… não se trata de analisar quem é quem, mas de perceber quantos estão no lance e em função do número de jogadores do lance… adaptar o posicionamento! Com 3 atrás da linha da bola… é assim como estão essas marcas mais claras. Um na bola, dois em cobertura.
      O trinco não podia sair na bola… não estava lá! Era o central que estava… logo ele tinha de reocupar a posição do central que saiu à bola 🙂 se param assim todos na mesma linha, todos os passes isolam colegas…

      abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*