Saídas por onde mais importa, e Jonas. Benfica na Suiça.

As ligações encarnadas a prepararem um jogo inteligente / pensado.

O posicionamento dos médios, também visto noutros modelos, com o baixar de um elemento (Augusto) para a linha dos centrais, garantindo mais um ponto de saída perante os dois avançados adversários, o segundo médio a colocar-se nas costas do primeiro sector ofensivo do adversário. Para receber, enquadrar e ligar com quem se posiciona nas costas dos médios (extremos bem dentro, com Jonas entre eles), ou se apertado, porque linha média adversária desmanchou, toque atrás para a ligação com os mais adiantados ser feita por um elemento da linha mais recuada da construção.

Muitas soluções e critério, procurando sempre ter como prioridade a chegada ao corredor central, no espaço intersectorial do adversário. Aquele que permite depois atacar-se somente contra a linha defensiva. E ter a posse no corredor central contra apenas quatro elementos, obrigará a linha adversária a tomar decisões. Se não junta, bola entra em ruptura, se junta, bola entra no corredor lateral, com lance prometedor pela vantagem numérica.

Na Suiça voltou a aparecer Jonas. A qualidade com que liga os ataques não encontra paralelo com outro avançado que tenha passado por Portugal nos tempos mais recentes. Sabe sempre quando progredir e quando e como definir cada lance. O seu posicionamento em organização ofensiva traz um Benfica a prometer muita chegada às áreas adversárias.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3013 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Maldini, o toque do Diogo Gonçalves de calcanhar para o Jonas também muito importante. Muitos outros teriam rodado sozinhos para meter no lateral ou teriam devolvido ao central.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*