Um novo velho Porto

Talvez seja preciso recuar à mudança de Quique Flores para Jorge Jesus, em 2009 no SL Benfica para que se consiga recordar um impacto tão grande numa mudança num jogar de uma equipa grande em Portugal, fruto de novas ideias da equipa técnica.

Também em 2009 logo na pré-época se percebeu o quão diferente para melhor e mais organizado se apresentava uma equipa que até então praticamente só vivia das individualidades.

É da noite para o dia a diferenças do novo para o não tão velho Porto.

Tudo o que tão criticado foi por cá (e que celeuma causou, até ao momento em que o FC Porto deixou de vencer os seus jogos) no jogo azul e branco, foi alterado.

Mesmo em organização defensiva, nunca foi com Nuno uma equipa forte a equipa azul e branca. Era somente uma equipa composta por vários jogadores com uma capacidade incrível para os duelos individuais.

Algumas semanas de pré temporada, e o FC Porto é hoje uma equipa com uma organização defensiva como nunca teve na temporada passada. Equipa junta, com princípios e a resolver problemas de forma conjunta. Equilíbrios, coberturas, concentração defensiva, jogar com superioridades numéricas.

Pressiona na construção adversária, se não recupera ou por mérito adversário ou por algum erro no posicionamento, restabelece a organização defensiva num instante e garante segurança.

Um Porto radicalmente diferente, também com bola. Procura e descobre caminhos que fazem Óliver brilhar e colocar a equipa mais próxima de chegar ao último terço em condições óptimas para finalizar.

Posicionamentos ofensivos para ligar corredores e sectores com bola no pé, e consequentemente de mais fácil recepção e enquadramento, uma das marcas do novo Porto.

Porque retirou a constante bola por cima, e sobe como equipa, progredindo a bola e os jogadores, porque tem sempre linhas de passe próximas, quando perde, tem sempre o espaço onde perdeu ocupado para iniciar transição defensiva com pressing sobre portador da bola. Perde – Aperta – Recupera – Inicia jogo ofensivo com paciência, esperando o momento para romper por dentro ou para aproveitar a capacidade incrível dos seus alas para romperem em drible pelo espaço interior a dentro.

Agradecimento muito grande à mais de uma centena dos que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda para que possamos manter periodicidade das publicações é passar por lá. Agora também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

P.S. – LIGA FANTASY do Lateral Esquerdo (dá para descarregar também a App para o telemóvel!

Quem quiser juntar-se a nós, basta clicar : LATERAL ESQUERDO FANTASY. O Código (Toke) para aderirem é: LatEsq18

 

Sobre Paolo Maldini 3777 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*