“Eu sabia que na segunda parte iriam perder intensidade” Jorge Jesus. 2a parte na Vila das Aves.

De que forma definir a intensidade abordada por Jorge Jesus?

Intensidade defensiva, expressa não na agressividade com que se disputam duelos, mas na disponibilidade / capacidade para continuar a ocupar os espaços de forma assertiva e rápida! Respondendo ao que o jogo pede.

Tal como referiu o treinador do Sporting, uma segunda parte bastante mais fácil para a equipa leonina pela perda de intensidade do adversário. Intensidade expressa em más decisões sem bola (sair quando não é para sair, ou demorar mais a perceber o que se passa), e intensidade expressa também na incapacidade para aumentar o tamanho da passada para chegar ao posicionamento correcto o mais rápido possível.

Uma segunda parte onde o Desportivo das Aves abriu mais o campo, demorou mais a dar respostas, e o Sporting a conseguir com muito maior facilidade ligar o jogo, chegar às zonas de criação e daí até às de finalização.

Sobre Paolo Maldini 3790 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

2 Comentários

  1. Interessante a parte do 1o tinha de marcar para agradar aos adeptos e só depois integrar no que pede treinador … interessante porque me lembro do choro que houve nos posts do bas dost quando vocês disseram o que mais tarde Jesus e o próprio Bas viria a dizer!

    Para um treinador tAmbém não deve ser fácil… ter de construir um caminho e os nabos dos adeptos mesmo sem terem noção a criar dificuldades!

    Grande posta! O que voces fazem aqui é ouro… dar.nos a conhecer o jogo e o que pensa quem está mesmo no jogo, e não as habituais opiniões de taberna toldadas pela doença da clubite…

    Obrigado por isso!

  2. Acho que quando os ex-jogadores falam que é preciso ter “pulmão” para jogar na 1ª e na 2º Liga (e de facto é), se referem ao ter intensidade na ocupação dos espaços durante os 90 minutos, o que a um bom nível de competição não é nada fácil.

    Suponho que não se refiram ao ter discernimento durante os 90 minutos, mas isso também é fundamental.

    Muito bom artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*