O centro do jogo e as ligações. Benfica vence Desportivo de Chaves.

O golo encarnado a chegar já bem tarde, e fruto de um jogar que se acentua.

Organização entregue ao pensador, e Pizzi que na segunda parte pisou terrenos mais adiantados, a decidir o momento para fazer correr e executar os alas. No lance do golo, Rafa. Para posterior ligação com zonas de finalização.

Tudo o que de positivo construiu e criou com um início em comum: Pizzi.

 

Sobre Rodrigo Castro 218 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

18 Comentários

  1. inacreditável ter jogadores como o salvio (egoista puro) e deixar rafa no banco….

    Pior que isto é andré almeida ser titular de um benfica que quer ser campeao, ou mesmo Varela. As diferenças são notórias….!

    Luis castro a dar cartas, a mostrar que tem valor. este chaves vai ser caso serio!!

    • O Rio Ave ou o Feirense o ano passado não ganharam nada e no entanto jogaram muito e bem. Só que não percebo o poucochinho no contexto do jogo de ontem.

      Se se disser que o Benfica teve dificuldades em defender compreendo. Se dissermos que as maiores dificuldades vieram de Cervi e Eliseu falarem duas linguas diferentes (até à saída de Cervi toda a jogada de perigo do Benfica pelo flanco esquerdo acabava em arrepios junto à baliza de Varela) compreendo.

      Agora a forma como o Benfica sistematicamente furou os pneus ao autocarro de Chaves, com passes quer rasteiros, quer por alto, pelo meio e aberturas do meio para as alas vem contradizer a teoria do poucochinho.

      Claro que podemos afinar pelo diapasão do Pedro Emanuel de que defender é uma arte (quando não se encaixam 3 do Porto no Dragão claro), ou reconhecer que o jogo de ontem foi mais jogo para acabar empatado a 4 ou 5 do que a 0.

      Se falarmos em ocasiões de golo falhadas na cara da baliza ou do guarda-redes, então a vitória só poderia mesmo sorrir a quem acabou por ganhar. Como se explica então o poucochinho?

      • Porque é tal a diferença de orçamentos e de qualidade que o facto de criarem mais ocasiões não é mais que a sua obrigação? Diga-se que o mesmo é válido para os outros grandes

        • Por essa lógica um clube “grande” só jogará acima do poucochinho se golear por uma diferença de golos igual ao rácio dos orçamentos? E os pequenos se forem goleados jogaram o normal e nunca “muito”? Não se pode jogar “muito” e mesmo assim acabar com o saco cheio, apenas porque do outro lado jogaram ainda mais?

  2. Não gostei do chaves,defensivamente entao mto permeáveis,não fosse o Nuno André coelho tinham levado 3-4 com relativa facilidade,algumas saídas com mateus e jorginho mas pouco a meu ver,quanto ao slb podia ter ganho tranquilamente tal foram as facilidades,principalmente pelo lado esquerdo do chaves e bola parada ofensiva…golo de craque do seferovic…Quanto às substituições do rui!!!!

  3. Com Semedo e Grimaldo tinham sido pelo menos 5. Defesa tão subida sem pressão no portador e laterais a serem atraídos pelos movimentos interiores dos extremos teriam dado uma dezena de 1×0. Mas o Eliseu nem sobe e o Almeida não sabe parar uma bola…

  4. Estes dois comentários acima são isentos ou apenas reveladores de azia?

    Salvio joga é muito, Almeida o mais atacante do jogo, Varela fechou a baliza. E o Benfica a carburar à grande e estamos em Agosto.

    Quanto a Pizzi, já se sabe que é o melhor do campeonato. De longe. Nem Jonas.

    • Sálvio ontem jogou imenso para o que é habitual. Espero é que não tenha gasto as jogadas colectivas todas da época num jogo. É que até o Jonas, ali na primeira parte, fou surpreendido por o argentino lhe passar a bola em vez de a atirar para o túnel do Marão.

    • Estamos no visao de mercado e ninguem me avisou? Acho piada como critica os outros por nao serem isentos e os seus comentarios mostram so palas vermelhas

      • «Salvio joga é muito» – Quando se vê uma frase destas não se questiona. Ou se tem um comentário sarcástico e vai-se embora ou não se liga. É doença em estado grave e quase terminal, e portanto temos de ser tolerantes.

  5. Fala-se muito do Salvio sem muitas vezes compreender o que ele dá ao jogo. Diz-se por aí que é um jogador burro, com parca decisão. Ora, isto está tudo errado.
    O Salvio é dos jogadores do Benfica que mais criam movimentos de rotura no bloco adversário, quer pela profundidade que dá ao jogo, quer pela imprevisibilidade dos seus movimentos e combinações com os colegas.
    Agora apodam-no de perdulário, é verdade que tem sido, mas também não deixa de ser factual, que é o extremo que aparece mais em situação para finalizar. Por outras palavras, ele falha, porque sem bola as movimentações são perfeitas. É, também por isso, que é o extremo que marca regularmente mais golos e que vai fazendo também mais assistências.

    • Compreende-se muito bem o que o Salvio dá ao jogo, e é por precisamente ele apenas fazer sempre a mesma coisa que se critica. Devia levantar mais a cabeça e tentar explorar outras opções, porque técnica e força não lhe faltam. Qualquer extremo no Benfica que passe a vida a rematar à baliza, sendo que 80% das vezes estava um colega em melhores condições para facturar, vai marcar muitos golos, porque o Benfica está muitas vezes a atacar. Eu gosto do Salvio, mas é a entrar em certos jogos e não a ser titular em todos. Venha o Zivkovic.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*