Cinco minutos de terror no Santiago Bernabéu

“Não conseguimos sair para o ataque” referiu Jordi Alba no pós jogo.

Avassalador!

Os primeiros cinco minutos no Bernabéu marcados pelos Reis do futebol mundial de 2017. O Real Madrid de Zinedine Zidane.

Bola, bola, bola, rabia aqui, rabia ali.

Na perda, pressão, recupera rápido e fica a jogar.

Papeis invertidos, uma realidade nunca esperada antes do treinador francês soltar no relvado a inteligência e o talento dos melhores. É aproveitar a diversão que nos proporcionam. E tudo sem Isco, e tudo sem Ronaldo, como não houve Modric no Camp Nou, só para que se perceba a profundidade do plantel merengue.

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 217 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

2 Comentários

  1. Caro Rodrigo,

    Até que ponto é partidário da ideia de que Zidane confere uma liberdade quase total aos jogadores para criarem e definirem as jogadas ofensivas da equipa?

    A que fatores atribui a fadiga e desconcentração aparente demonstrada por jogadores que outrora dominaram os duelos neste contexto competitivo (Busquets, Piqué, Alba, Suarez)?

    Grande abraço

  2. Mas é só mesmo liberdade? Acho que é muito mais que isso. Uma dinâmica treinada com intensidade, muita inteligência na percepção dos espaços para abrir/fechar/tabelar. Muito treino. Se duvidas houvesse sobre Zizou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*