United, e movimentos com sentido.

Muito recentemente falei aqui sobre a crescente importância dos movimentos de ruptura realizados pelo extremo / ala do lado oposto à bola.

Num jogo em que cada vez mais tudo importa, os movimentos de ataque à profundidade cada vez mais a fazerem sentido ser feitos pelos extremos do lado oposto à bola.

Tudo a ver com posicionamento da última linha adversária, e posicionamento dos jogadores da própria equipa. Com guarda redes que saem às bolas na profundidade, que e jogam muito mais fora da baliza que antes, todo o metro é importante.

Rupturas pelo ala do lado oposto porquê? Porque bola entra no espaço onde defesas desse lado estão com os apoios (pés) virados para a frente, para que consigam ver a bola, e portanto o tempo que vão demorar a rodar para ir buscar a bola às costas, será um pouco maior. Porque o facto de o movimento ser feito a partir do lado oposto, permite a quem quer receber a bola já se deslocar em corrida ao longo da linha defensiva, e portanto quando a bola sai, enquanto defesas estão parados e vão rodar para ir até ao local de queda da bola, ala do lado oposto já está de frente e vem em corrida!

E portanto, demasiadas vezes, se bem coordenado o passe com o movimento e se última linha mal posicionada em altura, pouco importará quem é mais rápido. Porque nem o Usain Bolt se tiver que arrancar de costas chegará primeiro aos 15 metros que um extremo de qualquer equipa da Liga, que parta já em corrida!

Em Manchester, o consolidar da vantagem e da liderança, a chegar de um movimento de Lingard, que do corredor direito ataca a profundidade na metade esquerda do campo.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3046 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*