A marca de Portugal na Hungria.

[multilanguage_switcher]No texto anterior sobre o jogo português na Hungria abordou-se o jogo pouco pensado e muito mais executado da selecção nacional. Poucas combinações e poucos momentos em que de forma conjunta os jogadores portugueses procuravam resolver problemas.

Houve, todavia, no decorrer do jogo um lance em que por momentos, Portugal resgatou o jogar de outrora. Juntos descobriram caminhos. Tabela, opositor ultrapassado, superioridade numérica após a combinação a obrigar quem ficou a libertar Ronaldo para proteger o caminho para a baliza.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Faço mea culpa, Maldini, afinal houve uma ‘tabelinha’. Mas poderiam ter feito isto mais algumas vezes. Parece que acontece por mera casualidade mas louve-se a inteligência de Moutinho a provocar o desequilíbrio defensivo do adversário.
    Também aproveito para dizer que equivoquei-me acerca da suposta afirmação atribuída ao António no meu comentário do post anterior que foi, e passo a citar: “E ainda por cima ouvir os comentários do sr. Tadeia: o Danilo joga porque o seleccionador vê nele um jogador importante para o jogo aéreo.”
    O correcto será: “E ainda por cima ouvir os comentários do sr. Tadeia: Danilo ali para tentar ganhar estas bolas aéreas que os húngaros vão muitas vezes lançar para a frente.”
    Portanto, a não ser que o António tenha informação privilegiada acerca dos motivos pelos quais o Fernando Santos escolhe A em detrimento de B, esse comentário vem da sua cabecinha, é a sua leitura face às escolhas feitas pelo selecionador. É legítimo que pense assim, afinal de contas o António é um entre milhões de portugueses que corroboram essa ideia. Se não se importar muito irei continuar a ser uma das 1279 pessoas existentes nesse país que gostam de o ouvir mas apenas para ter alguns momentos de diversão porque de facto algumas frases que diz são merecedoras de umas belas gargalhadas. O António, como figura pública que é, está sujeito à crítica e deve saber lidar com isso assim como eu aceito as opiniões diferentes da minha e poderia também aproveitar este blog e outros (entredez, possedebolla, sabersobreosabertreinar, domíniotático, entre outros) para ficar com uma visão diferente do que aquela que normalmente as pessoas têm acerca do futebol.
    Para finalizar digo que, à falta de melhor(es) opção também poria o Danilo a jogar. Argumento: aquele que o Ricardo falou no seu comentário.
    Razão principal para todo este chinfrim: está no comentário do romario.
    TPC: 1-quais as razões principais que levaram a Espanha a golear a Itália em todos os momentos do jogos sem jogar com o tradicional ponta de lança? nota- a resposta terá que ter um mínimo de 10 palavras.

    2- quantos duelos aéreos ganhou o jogador Danilo no jogo que opôs Portugal à Islãndia a contar para o Campeonato da Europa, fase de grupos?
    a) 1
    b) 5
    c) 10
    O trabalho poderá ser realizado em grupo, se quiser poderá convidar o seu homólogo da sic, o João, para o ajudar. Boa sorte!

    Last question: especializou-se há uns 25 anos em futebol mas concretamente especializou-se em quê? Em dizer a 5 minutos do fim de uma partida em que uma das equipas ganha por 1-0 que o jogo está perigoso? Emocionante? Dividido? E que tudo pode acontecer? Fodasse António, obrigado por tudo.

    Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*