O Barcelona que se começa a desenhar.

[multilanguage_switcher]Equipa catalã à procura de uma nova dinâmica que a possa devolver ao topo depois do domínio intenso do Real Madrid, mas sem nunca abdicar do seu estilo.

Valverde a construir uma dinâmica que aproveite as suas individualidades. Muita pausa e conforto com bola, reduzir ao máximo as perdas para não entrar num jogo de correrias, e aproveitar Messi.

Parte de um 442 em organização defensiva, com Dembélé, a ser o elemento mais “sacrificado” em termos físicos. Porque sem bola integra linha média, e com bola, é responsável por se colocar como avançado, sobre o lado direito. Porque o propósito é passar pouco tempo em constantes trocas de posse, as acelerações que lhe são pedidas nas transições reduzem-se e resguardam-o.

Messi faz o inverso. Defende mais à frente com Suarez, e com bola, baixa para entre linhas para se associar com os médios, funcionando quase como um número dez, à frente do triângulo Sergio – Rakitic (direita) – Iniesta (esquerda). Corredores laterais para Alba e Semedo, que paulatinamente perde a timidez, e para além do constante tocar esperando o desposicionamento adversário, já progride quando há espaço. Incrível como não perde uma bola, mesmo competindo a um patamar bastante mais elevado do que o de outrora.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3046 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Reconstrução de identidade. Lentamente a melhorar coletivamente, com e sem bola. Mais juntos, mais curtos, mais coordenados. 4-4-2 assimétrico e mutante. Sem bola, ainda desalinhos, imprecisões no pressing, confusões abrindo alguns espaços perigosos. Mas maravilhas com Messi e Iniesta. Messi, em espaços tão curtos…”imarcável”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*