FC Porto sai de Lisboa na liderança

Sporting player Jeremy Mathieu (R) vies for the ball with Aboubakar (2L) of FC Porto during their Portuguese First League soccer match held at Alvalade Stadium, Lisbon, Portugal, 01st October 2017. ANTONIO COTRIM/LUSA

Resultado justo, pese embora o FC Porto no seu melhor período tenha sido bastante mais perigoso que o Sporting nos momentos em que esteve por cima.

Nem sempre bem jogado, um jogo que fica marcado mais pelas ausências do que pelas presenças.

Sporting que sem Coentrão no corredor esquerdo, perdeu qualidade para chegar com bola bem dominada às zonas de criação. O lateral não tem o desequilíbrio do drible de outrora, mas liga com muita assertividade o jogo por dentro, e com a sua qualidade técnica e de decisões, aproxima a sua equipa do golo, e sem Doumbia perdeu um avançado que pudesse ser um incómodo real para os centrais do FC Porto, quer nos momentos ofensivos pela variabilidade de movimentos que acrescenta, seja no ataque à profundidade, ou na maior e melhor participação com bola na zona de criação, quer no momento defensivo pela sua agressividade na construção adversária.

Com menos chegada ao último terço e com menor qualidade ai chegado, nunca pareceu o Sporting capaz de poder fazer cair a liderança azul e branca.

FC Porto sem Óliver e Corona. Opções de Sérgio Conceição, que tem dado primazia nos jogos de maior dificuldade a um perfil menos inteligente e menos técnico, mas mais físico e disponível para os duelos defensivos.

O espanhol e o mexicano poderiam ter sido os elementos que colocariam melhor definição em cima do controlo da equipa azul e branca.

Quarteto defensivo e Danilo, novamente a demonstrarem a excelência nos duelos defensivos, e a contribuírem fortemente para mais uma “clean sheet” de Iker, que praticamente não teve de intervir.

Sobre Rodrigo Castro 218 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

4 Comentários

  1. o porto de sergio conceição é muito forte nas transições ofensivas e defensivas. Muitos duelos na organização tanto defensiva como ofensiva. Se houvesse oliver e corona, teriam mais qualidade na parte ofensiva, mas provavelmente perdia nos duelos defensivos…..

    Sporting, dos 3 grandes é quem tem as piores individualidades. jesus, melhorou bastante depois do intervalo, com os centrais a ter mais qualidade na saida….

    • Sporting, dos 3 grandes é quem tem as piores individualidades?????… Patricio Coates Mathieu, Coentrão, William, Bruno Fernandes, Dost Dumbia, Gelson, Acuna , só para mencionar os melhores… Jonas pizzi e fejsa são melhores ??? E o porto tem melhores individualidades??? O porto foi melhor tacticamente e fisicamente, foi em suma melhor equipa e PRECISAMENTE foram as individualidades do sporting que aguentaram o empate (rui patricio mathieu coates etc..). O resto é conversa de quem não consegue nem por sombras dar mérito aos jogadores adversários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*