Sobre Rodrigo Castro 218 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

6 Comentários

  1. Das maiores injustiças que já vi em futebol.

    Enorme Rio ave. Gostei muito dos centrais dos vila condenses com bola. O que acharam ?

    • E engraçado stuve, vou lendo os teus comentários aqui e são quase todos interessantes, deixa me admirado, porque te inseres num meio de futsal em que se endeusam pseudo estrelas do paraíso que cometem os mesmos erros que aqui apontas… mas gosto dos teus textos, E a tua página tem algum potencial, embora seja um bocado “visão de mercado”.
      Um abraço, e vamos ver se combinamos uma futebolada

  2. Um tratado de futebol que deu o Rio Ave.

    Superiorizou-se em tudo, dominou o jogo praticamente todo. Num lance inacreditável perde a possibilidade da vantagem, que seria justíssima diga-se, no seguimento sofre contra a corrente.

    A saída de bola do Rio Ave sob pressão é de uma categoria tremenda, nota-se o trabalho do treinador mas, sobretudo, a confiança que têm os jogadores para o fazerem. Uma coisa é treinares isto durante a semana, outra bem diferente é enfrentares uma equipa teoricamente superior e mesmo assim seres capaz de o fazer.

    Sobre o Rúben Ribeiro, muita classe. Dizia o comentador da Sporttv que é capaz do melhor e do pior… O melhor em campo, depois do Rui.

  3. Que equipa do Catano.

    Nem o empate era merecido, quanto mais a vitória.

    Parabéns ao Miguel Cardoso, muita qualidade em todos os momentos.

    Um abraço,

  4. Tremendo Rio Ave em todos os momentos, menos na definição ofensiva. Sinceramente não percebi a tremenda precipitação nos remates de longe. Havia 2m de espaço e minimamente enquadrado e ca vai disto… e foi demasiado transversal a toda a a equipa para não ser algo pedido. Chegam muito bem e com muita qualidade a zonas de definição mas depois falta qualquer coisa. E se virmos bem as ocasiões que criaram com finalização, apenas aquele cabeceamento na 1a parte teve qualidade nesse momento. De resto, foram remates de meia distância.
    Talvez isso explique os poucos golos que marcam. Em tudo o resto, do melhor que este ano. Houve demérito do Sporting, mas muito mais mérito do RAFC. E o Rúben… que suplesse!!! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*