Bruno Fernandes, e a versatilidade do Sporting na Liga dos Campeões.

FUTEBOL - Bruno Fernandes, jogador do Sporting, no jogo Sporting-Fiorentina a contar para oTorneio Cinco Violinos no Estadio Jose Alvalade em Lisboa. Sabado 29 de Julho 2017. (ASF/ SERGIO MIGUEL SANTOS)

O Sporting tem apresentado na presente época um conjunto de variações ao modelo habitual de Jorge Jesus. Sobretudo nos jogos europeus, quer por estratégia ou até por alteração do próprio sistema, o Sporting tem subido aos relvados cumprindo diferentes posicionamentos de jogo para jogo.

Um plano B nunca beneficia do mesmo tempo de aperfeiçoamento, leia-se em treino, do plano A. E portanto, para que cumpra os desígnios do treinador, este precisa obrigatoriamente de ter jogadores cultos tacticamente. Mais do que conhecer a posição devem conhecer o jogo.

Na recepção à Juventus, Jorge Jesus voltou a reforçar a linha média. Bruno Fernandes que tem ocupado mais do que uma posição no sistema leonino desde que se iniciou a época, demonstra o porquê conseguir o Sporting mudar sistema e estratégia, e ainda assim continuar competitivo e competente.

Conhecer o jogo! Num dia é avançado, no outro fecha o espaço do defesa central.
Ora veja:

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3730 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Battaglia, Bruno Fernandes, Bruno Cesar, Gelson e Acuna, hoje extraordinários na forma como trocavam posições na fase de construção da Juve. A dinâmica das coberturas e da ocupação do espaço era a mesma mas os indivíduos trocavam muitas vezes. Trocas de posição constantes mediante a recuperação defensiva.

    Acuna na segunda parte deixou de ajudar a fechar o lado esquerdo defensivo e deixou muitas vezes o Quadrado no 1vs1 com o Jonathan e com falta de coberturas, têm ideia porque isso aconteceu? Acham que foi alguma estratégia do Jesus? Estranhei um pouco a situação

    • Tenho vindo a notar nos ultimos três jogos grande desgaste fisico do acuña (e também do gelson). No jogo contra o Rio Ave, apesar de ser muito esforçado, havia uma notória falta de explosão e na segunda parte o jogador encontrava-se de rastos.
      Na primeira parte de ontem foi com bons olhos que vi um acuña muito disponivel ao jogo e a ocupar muito terreno. Penso que a questão de que falas estará mesmo relacionada com o cansaço, daí achar que JJ deveria ter mexido..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*