Atropelados

FUTEBOL - Brahimi durante o F c Porto Liverpool referenta a 1 mao dos oitavos de final da liga dos campeoes realizado no estadio do Dragão. Quarta 14 de Fevereiro de 2018 (ASF/PAULO SANTOS)

Num jogo que prometia emoções fortes, um erro individual muito grave do guarda redes do FC Porto, marcou todo o jogo.

A perder, em casa, havia que trabalhar para ser diferente.

Porém, sem a presença de Danilo no espaço entrelinhas defensivas, para impor a sua presença nos duelos e ajudar a defender os ataques rápidos do Liverpool, com os reds entregues ao jogo que tanto adoram, e que tão perigosos são, isto é, adversário aberto, a errar e a consentir ataques com espaço e menos presença numérica, o resultado foi-se avolumando.

Difícil crucificar Sérgio Conceição. A perder cedo por dois a zero, ou ia atrás da eliminatória e arriscava o que aconteceu, ou escondia-se num resultado mais digno, mas que lhe retiraria toda e qualquer hipótese de virar a contenda.

Demonstrou que a vontade de vencer é maior do que a de perder. Foi corajoso, e pagou por isso.

 

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 217 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

11 Comentários

  1. Pode e deve-se crucificar o SC.

    Oliver, novamente, de fora. O melhor médio, especialmente necessário num jogo contra uma equipa muito pressionante. Era necessário ter alguém com critério e capacidade de fazer circular bem a bola. Porque um dos maiores problemas do Porto foi de ordem técnica: muitos passes e receções falhados.

    Marega a titular o jogo inteiro, quando somou passes e receções errados.

    Casillas devia ter sido titular (tal como foi contra o Sporting). Jogo com uma equipa grande e que exigia experiência e capacidade para superar erros.

    • Concordo em absoluto com os dois primeiros parágrafos.

      Ao intervalo retirou o único jogador que conseguiu jogar entre as linhas média e defensiva do Liverpool – Otávio – e deixa em campo Marega que, cedo se percebeu, iria atrapalhar mais do que produzir.
      Resultado da substituição: menos jogadores do FCP no meio campo, onde mais faziam falta, e inevitável domínio do Liverpool.

  2. Na realidade, torna-se difícil ao Porto poder fazer frente a equipas médias da Europa, quando tem bastantes jogos treino por cá, o que lhe retira capacidade competitiva. Aliás, o ritmo de passeio permitido por Luís Castro foi um presente envenenado.
    Acrescentando a isso um conjunto de jogadores de elevada qualidade, o resultado é o menos importante. Importa sim os processos. Sá, Reyes, Ricardo, Teles, Oliveira, Marega, Herrera, Otávio…

    • Então afinal a culpa não é do Porto.. é das equipas com quem o Porto joga em Portugal. Assim tamos explicados. Na verdade, não foi o Porto que levou 5 batatas do Liverpool. Foi o Chaves e o Tondela.. aqueles gajos maus que não dão competitividade ao Porto.

  3. Muito mal na abordagem tática ao jogo.

    Herrera demasiado atrás, bloco defensivo e ofensivo demasiado separados.

    É patente a falta de um jogador com capacidade defensiva para substituir Danilo.

    Pedia-se alguem mais forte na leitura defensiva ao lado do Sérgio. Pedia-se um Herrera com capacidade de pressionar mais a frente.

    Era claro que o Liverpool precisava de ter tido um quebra cabeças mais difícil de bater que Marega

  4. Eu não vi o jogo, tirando umas partes em que o Liverpool contraria o que aqui escrevem (parece que é uma equipa que apenas joga com motas mas isso não é verdade) e outras em que se viu o de sempre: sem bola valem os dentes, com bola é o Marega em estilo bulldozer para meter uns charutos lá para cima. E o Oliver no banco com dores de pescoço. Este FCP até pode ser campeão português mas não será lembrado por mais nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*