Benfica táctico asfixia a equipa de Jorge Simão

Em ataque posicional, na sua organização ofensiva, e a incrível transição defensiva que asfixia os opositores nacionais. 2018 trouxe de novo o melhor Benfica, que parte de uma organização ofensiva com posicionamentos extremamente bem pensados para assegurar uma eficaz transição defensiva, que lhe permite recuperar rápido e alto.

(Faltam apenas 50 subscritores do canal de youtube para este poder estar apto para monetização. Façam o favor, que é uma grande ajuda para produzirmos cada vez mais conteúdos…)

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3356 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Não gosto de falar de sistemas melhores ou piores, porque o sistema é só um desenho no quadro, a ideia de jogo é o que a equipa faz partindo desse desenho. Contudo pode parecer contraditório, mas sempre gostei do 4x3x3, porque a meu ver é aquele mais fácil de ser trabalhado, e garante mais segurança na transição e organização defensiva. E quando tens dois médios muito fortes na distribuição, com um Fernando ou um Casemiro atrás, e dois extremos bastante fortes nos desiquilibrios, os restantes jogadores não precisam de ser muito bons, basta cumprirem com o que o treinador propõem. Claro que uma equipa de 4x4x2 também pode ser forte na transição defensiva,na chamada reação à perda, mas já exige mais dos dois médios centros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*