Transição Defensiva que vira Ofensiva – Para lá da maravilha de Raul

Entender o jogo, é perceber os timings para colocar os comportamentos. Sempre de forma colectiva, isto é, de nada adianta alguém sair para encostar no homem se não o fizerem todos ao mesmo tempo – Apenas estará a cansar-se, e a ficar no meio de uma rabia.

Uma vez mais, a importância da Transição defensiva do Benfica de Rui Vitória no jogo dos encarnados. Num jogo que não estava fácil, o primeiro comportamento após a perda de todos os jogadores encarnados foi encostar, na zona da perda, e juntar a equipa nas zonas mais afastadas. Isto é, onde perdeu HxH, mais atrás, aproximar / subir para encurtar espaço, e à frente – aproximar / baixar, também para encurtar espaço.

E de uma transição defensiva, o Benfica saiu em Transição Ofensiva.

A forma como Raul definiu posteriormente o lance é a cereja em cima do bolo, que foi e é o comportamento colectivo da equipa de Rui Vitória no seu primeiro submomento de Transição Defensiva.

 

 

 

 

3 Comentários

  1. Este video referindo as transições acaba (no meu entender) por explicar a razão pela qual entendo que o R.vitoria não é treinador para o Benfica.
    Este tipo de jogo, em que o benfica pouco constrói (com objectivo e não com deter a posse de bola) e não cria oportunidades quando encontra equipas em bloco baixo e junto ou com jogadores com outra qualidade técnica defensiva, não serve para o Benfica, e é óptimo para “equipas pequenas” que jogam apenas no erro do adversario (como explica este video). O benfica é forte a explorar o erro adversário que essencialmente surge quando o adversário têm menos muito menos qualidade na saída e na procura de assumir o jogo. Pode-se analisar também a performance na liga dos campeoes que explica o “adversario”!! Em ataque continuado apenas surgem oportunidades em combinações jonas-X (pizzi ou krovonic) onde atualmente o Jonas passa muito ao lado do jogo em construção e dái ser muito paupérrimo ao nivel de oportunidades este jogo do benfica. Espero que consiga ser campeao mas existem muito problemas sem solução à vista.

  2. O Benfica não explora o erro. Falta acrescentar é que o Benfica provoca o erro no adversário com um sem número de vicissitudes colocadas pelo, continuo a dizer, melhor treinador em 🇵🇹 . E na próxima época que vem vai ser ainda mais evidente. Saudações.

  3. Neste lance em específico muito dificilmente encontras os médios centro ( Pizzi e Zivkovic ) Rafa também deveria estar a dar apoio ao Almeida que se vê obrigado a bombear.

    Muitas vezes existe a construção mas isso está muito dependente da proximidade entre lateral, médio centro e extremo onde posteriormente vai aparecer o Jonas como joker.

    Nesse aspeto penso que o Rafa deveria dar mais. Ser mais inteligente sem bola procurando abrir espaços e explorar os mesmos.

    A entrada no plantel de um defesa central como o Ferro poderia levar essa fase de construção para outros níveis. Tal como neste tipo de jogos seria importante ter um complemento ao Fejsa que participa-se de forma mais notória (Pedro Rodrigues e Keaton) poderiam dar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*