À boleia de Bruno

Num jogo frenético, frente a um Belenenses muito competitivo, com uma ideia de jogo muito positiva e a dar uma excelente réplica, foi à boleia de Bruno Fernandes que o Sporting construiu o seu resultado. Num registo de regularidade exibicional que é caso de estudo por aquilo que tem sido a sua época, o 8 leonino novamente a ser decisivo em todos os golos do Sporting no jogo.

Em zonas de criação, movendo-se por trás de Bas Dost e também a toda a largura, procurando espaços na profundidade nos corredores laterais, ou baixando muitas vezes para zonas de construção, para dar segurança e uma saída limpa, Bruno Fernandes exibiu-se a um nível muito alto. Num jogo onde o Sporting aproveitou muito bem as perdas de bola do Belenenses no seu meio campo ofensivo e daí criar situações para poder transitar para ataque rápido ou contra ataque com menos jogadores adversários atrás da linha da bola para enfrentar, ao invés de ser uma equipa criadora, paciente e mais capaz em ataque posicional, foi Bruno Fernandes quem ligou a equipa leonina ofensivamente. Das suas decisões, sabe-se que a bola sairá bem tratada e com uma ideia.

Neste momento, Bruno Fernandes é uma tremenda mais valia na liga portuguesa e obviamente no Sporting. Época absolutamente incrível do internacional português, opção de luxo para Jorge Jesus e para Fernando Santos no Mundial que aí se aproxima. Aproveitem, possivelmente em breve estará numa das melhores ligas do mundo a demonstrar toda a sua qualidade individual e a deixar bem cheios os cofres leoninos.

 

José Carlos Monteiro
Sobre José Carlos Monteiro 47 artigos
Treinador de Futebol, Uefa B, com percurso e experiência em campeonatos nacionais nos escalões de formação. Colaborador como observador e analista em equipas técnicas na Primeira Liga. Alia a paixão pelo treino e pelo jogo à analise de jogo.

11 Comentários

  1. Se dependesse de Simeone já estaria contratado. Liverpool ou Tottenham (possivelmente – mas menos – Arsenal) serão os destinos prováveis. Infelizmente para o jogador, olhado o padrão do parasita que preside ao Sporting, à semelhança do que sucedeu com outros (o último foi Adrien), Fernandes terá de esperar meio ano para ver a vida resolvida e entrará no clube de destino com a época em andamento.

    • “O Padrão do Parasita”. Esta é boa. Enquanto socio do Sporting, preocupam-me varias coisas. Um delas nao sera de certeza esta. Se um clube quer determinado jogador, paga o que o clube detentor do passse quer, que é exactamente como todos os outros meninos fazem tambem quando é com eles. Ou sera que estou errado? E neste caso em particular, não me lembro desde que tenho memoria, e mesmo atendendo a proporçao/inflaçao do mercado, do Sporting fazer em media tao bons negocios a nivel de vendas, como faz desde que entrou o tal “padrao parasita”. Todos nos podemos ter os nossos odios, mas acho que agora perdeu uma boa oportunidade para guardar o seu odio para outra oportunidade. Peço desculpa pelo aparte.

      • ” … tao bons negocios a nivel de vendas, como faz desde que entrou o tal padrao parasita.”

        PedroC, os negócios Adrien, Slimani e João Mário são mérito (sobretudo) de Jorge Jesus. Para este efeito (e outros) o factor de desequilibro é o treinador do Sporting (e os jogadores, claro).
        O dedo do parasita foi relevante nisto:
        – Adrien sem jogar de Agosto a Janeiro depois de assinar pelo Leicester.
        – Sporting 2016/17 recebe em Alvalade o FCP à 3ª jornada (por sinal o último clássico que o Sporting venceu convincentemente um rival) com Slimani, Adrien e João Mário no plantel e na equipa. Salvo erro fizemos o pleno de pontos nas 4 ou 5 primeiras jornadas. Após a transferência dos jogadores – campeonato em andamento – lá teve o Jesus de adaptar o B. César e o Sporting de andar a jogar com Elias, Andrés, Campbells e Castaignos. Aí é que ele foi decisivo, não nas transferências.

    • Achas mesmo que esse comentário faz algum tipo de sentido aqui?

      Até gosto das tuas escritas, mas isto é uma parvoíce pegada.

      BF está a fazer uma época incrível, será transferido por um montão de dinheiro e será titular da selecção nacional em breve.

      Um abraço,

      • Qualquer comentário sobre a presumível transferência de BF não é estranho na caixa de comentários de um texto que no último parágrafo menciona a provável transferência de BF. Acho eu.

  2. Grande epoca está a fazer o Bruno, a ver se dá seguimento no Mundial.

    Uma nota para a nova posição de Bryan no meio, que espectaculo. Sempre de cabeça levantada.

  3. Não vejo o que Bruno Fernandes não tenha que Deco tivesse. Quando muito, golo, em termos absolutos, muito embora se compararmos os golos marcados por um e outro na proporção da equipa, até aí qualquer diferença se esbate. Só queria saber a vossa opinião, porque no outro dia tive uma discussão estéril com pessoas que, quanto a mim, se recusam a aceitar o óbvio.

      • Concordo com a questão das rupturas. Quando utiliza o termo calculista pretende sublinhar a adaptação ao contexto (tipo Aimar – acelerar quando é para acelerar, meter pausa quando é para acalmar) ou no sentido de ser superior ao nível do critério? Obrigado.

        • São / eram simplesmente diferentes, procuravam coisas diferentes. E subscrevo “superior ao nível de critério”. Deco não falhava, não só porque era inteligentíssimo e tecnicamente muito bom mas porque não transportava a bola. O Bruno Fernandes “suja-se” e expõe-se muito mais, e tanto pode levar a bola como não. É mais ou menos certo que se (por exemplo) o BF jogasse no Barcelona nunca faria aquilo que faz no Sporting, e também não faria (na minha opinião) aquilo que Deco fazia (no Barcelona ou no FCP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*