O treinador de Jorge Jesus

Depois de defrontar Silas, seu ex jogador, Jorge Jesus vaticinou que no futuro talvez haja no plantel do Sporting alguém que poderá ser treinador e com grande futuro! Nós por cá arriscamos o nome de Bryan Ruiz. É incrível a sua qualidade dentro de campo em qualquer posição e para qualquer que seja a tarefa.

Ruiz não é rápido para o corredor, não é o típico extremo de perna curta, potente e de drible fácil mas cumpre porque sabe jogar em espaço interior como ninguém e raramente perde a posse, decidindo sempre bem. Como segundo avançado falta-lhe disponibilidade para cair nos corredores e a rotação para pressionar a saída de bola como Jesus gosta e por exemplo Marega ou Tiquinho fazem, no entanto a sua criatividade no ultimo terço faz com que veja o que mais ninguém vê e com isso consiga descobrir caminhos para a bola chegar ao seu destinatário como nenhum outro no plantel do Sporting, cumpre!

Ultimamente e com a ausência de William tem jogado a 8, sem a frescura física de anos anteriores, parece lento e pouco disponível, não é um recuperador de bolas, mas quando a perde pode-se contar com ele, compensa a aparente falta de disponibilidade física com a concentração mental e com o posicionamento que lhe permite estar no sitio certo quando é preciso, cumpre sempre!

Bryan tem o conhecimento, tem anos de prática e de balneário, falta perceber se tudo o resto que faz um treinador está lá!

Se houvesse mais tempo, a sociedade que faz com Bruno Fernandes, que procura ser sempre o apoio frontal e é o homem que Ruiz procura mal levanta a cabeça, poderia levar o Sporting a outros patamares no corredor central…

 

 

Dejan Savicevic
Sobre Dejan Savicevic 52 artigos
Treinador, apaixonado por desporto, futebol e treino. Experiência em campeonatos nacionais na formação e atualmente ativo no futebol sénior. Colaborador na área de scouting e análise de jogo, com vários treinadores e equipas do campeonato nacional da Primeira Liga. contacto - galeiras@gmail.com

3 Comentários

  1. Ainda joga muito!

    Já o ano passado, quando jogou a 8 por lesão do Adrien, achei que era o melhor jogador que tínhamos para aquela posição. E continuo a achar, dado o critério com bola que dá e o facto de ser bastante disponível quando a equipa a perde.

    Vamos lá ver se lhe dão mais um aninho, merecia sair com um título de campeão português no CV 😉

    Abraço e continuação de bom trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*