A influência de Bas Dost no jogar do Sporting em mais uma noite de gala de Bruno Fernandes

Em Portimão, muitas dificuldades para o Sporting levar de vencida a equipa local. Foi novamente Bruno Fernandes a desbloquear um jogo e um resultado de elevada dificuldade para o Sporting contornar, perante um Portimonense com jogadores de qualidade técnica muito interessante, elevada e possivelmente já para outros patamares, com uma forma de jogar aberta que potencia o espectáculo e agrada ao adepto, daí que tenha criado imensas dificuldades ao Sporting durante todo o jogo.

Foi a partir da competência no jogo áreo de Bas Dost, que Bruno Fernandes inaugurou o marcador. O holandês, que tantas vezes passa à margem do jogo porque precisa que o Sporting tenha um nível de criação suficientemente capaz para poder aparecer e isso nem sempre acontece, tem o processo ofensivo leonino moldado às suas características. Não é um jogador que crie para si próprio, como já referiu Jorge Jesus, antes é um avançado dependente de outros para poder aparecer onde é mais forte, na finalização. Porém, apesar de tudo, Bas não é só isso. É referência no futebol directo quando o Sporting não consegue sair de forma curta, é importante também nas bolas paradas defensivas e ofensivas pela competência já referida no jogo aéreo, em transição ofensiva para ataque rápido ou contra ataque é o primeiro a ser referência vertical para sair e praticamente quase sempre recebe e entrega no apoio frontal, etc, etc. O Sporting está moldado ofensivamente às características do seu avançado. É evidente que depois faltarão outras coisas (dava para novo artigo), mas quando se vê a quantidade de golos que Bas Dost tem apontado ao serviço do Sporting, o que compensará mais? Venham de lá as opiniões. Em vídeo, algumas acções do holandês no encontro de ontem em Portimão, num jogo onde Bruno Fernandes voltou a aparecer e a resolver, ele que se sente muito confortável atrás de Bas Dost, com possibilidade de aparecer em zonas de criação e vindo detrás para a frente para aparecer em zonas de finalização ou movendo-se a toda a largura para atacar a profundidade nos corredores laterais. Beneficia imenso quando o Sporting defronta adversários que querem jogar, abrir a equipa e tentar discutir o jogo pelo jogo, pelo espaço que depois tem para aparecer e definir. Época absolutamente incrível do 8 leonino, um novo jackpot para o Sporting como referiu e bem o seu treinador na conferência de imprensa após o jogo e que tem as portas do Mundial escancaradas para poder brilhar ao mais alto nível, assim o nosso seleccionador nacional o entenda.

Algumas acções de Bas Dost no encontro de ontem a comprovar o que refiro no texto.

 

E o golo decisivo de Bruno Fernandes, fortíssimo a aparecer na segunda bola e a resolver de meia distância, oferecendo mais três pontos ao Sporting.

 

 

 

 

José Carlos Monteiro
Sobre José Carlos Monteiro 47 artigos
Treinador de Futebol, Uefa B, com percurso e experiência em campeonatos nacionais nos escalões de formação. Colaborador como observador e analista em equipas técnicas na Primeira Liga. Alia a paixão pelo treino e pelo jogo à analise de jogo.

3 Comentários

    • Obviamente que não, mas o Sporting, porque Dost tem características muito específicas, tem um modelo pensado no holandês. Ganha em muitas coisas, mas perde noutras também.

      • Post muito interessante. Ando em constante discussão relativamente a Bas Dost vs Slimani e tendo a achar que o Bas Dost dá mais à equipa do que o argelino. Creio que Slimani era, sem sombra de dúvida, mais intenso no momento defensivo (não sei se mais competente), nomeadamente a impedir a construção adversária na primeira linha. Acho-os muito parecidos em todas as outras componentes, talvez Bas Dost seja mais finalizador mas em termos de ligação com os colegas acho-os muito parecidos – ou seja, não são prodígios técnicos mas evoluíram no sentido de combinar. Este ano, vi ações do Bas Dost que seria impossível ver no seu primeiro ano (lembro-me, por exemplo, de uma assistência para golo de Gelson). Contudo, também noto que em alguns jogos fica apagado e se limita a ser essencial nas bolas paradas defensivas. Sei que comparar jogadores é sempre um exercício difícil mas entre um e outro, o que é que acha?

        Obrigado, abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*