100 Jogadores a seguir no Mundial – 46 ao 50

Paulo Dybala, Argentina

o pé esquerdo mágico da Juventus ainda procura o seu espaço na selecção do seu país.

A sua assombrosa qualidade técnica e capacidade para definir em espaços curtos, permitem-lhe fazer mais do que um espaço, e poder coabitar o relvado com Messi, assim Sampaoli o entenda.

Pelo seu critério com bola, capacidade de drible e e execução rápida, Dybala é um dos mais capazes desequilibradores que estarão na Rússia. Encaixar o seu talento com a presença de Messi poderá trazer algo de mágico à competição.

Alan Dzagoev, Rússia

O interior do CSKA é um dos mais virtuosos jogadores da equipa anfitriã do torneio.

No 5x3x2 da Rússia, deverá surgir como interior e pela qualidade técnica da sua execução, é o principal candidato a alimentar a grande referência da selecção russa dos dias de hoje, o avançado Smolov.

Não é propriamente ultraveloz a executar, mas fá-lo com qualidade, e sabe perceber o momento em que pode progredir ou que se exige outra decisão. Se a equipa da casa surpreender, Dzagoev é um dos candidatos a surgir na notoriedade, pela forma como faz jogar a sua selecção.

Granit Xhaka, Suiça

O médio do Arsenal será interior na selecção da Suiça no Mundial da Russia.

Xhaka tem uma percentagem de acerto em posse, extremamente elevada. Embora não seja um jogador capaz de desequilibrar de forma consecutiva o jogo com as suas decisões, sabe sempre preservar a bola, e ver os espaços para onde esta pode entrar a rasgar as linhas adversárias. Não sendo um criador de excelência, Xhaka tem o condão de em zonas menos densas, isto é, com menos pernas, garantir qualidade nas ligações para o ataque.

Um médio que prima pela quantidade de acerto que tem em cada jogo, uma espécie de “Relógio suiço” totalmente confiável.

Jesus Corona, México

O extremo do FC Porto tarda em provar todo o seu valor. Porém, o seu talento é indiscutível! Nível técnico absurdo, Corona partindo do corredor direito para o meio, com bola junto ao pé, tem sempre soluções para criar desequilíbrios nas estruturas adversárias. Em drible ou no último passe, o extremo mexicano é um dos criadores e dos mais capazes em espaços curtos.

Muito do que a selecção mexicana poderá fazer no Mundial virá da qualidade dos seus alas, e da forma como estes conseguem invadir os espaços centrais em progressão. Corona terá um papel a provar, e poderá surgir com notoriedade no último terço.

Rakitic, Croácia

O médio do Barcelona surgirá como interior no luxuoso meio campo da Croácia no Mundial.

Qualidade técnica estupenda, e a forma como se associa a Modric e Kovacic, tornam Rakitic uma das figuras em destaque no torneio da Rússia. Mais do que provocar desequilíbrios, Rakitic mostra-se pela forma como liga ofensivamente os ataques, e permite que a bola chegue mais limpa às zonas mais adiantadas. Com uma percentagem de acerto em posse abismal, é o tipo de jogador que permite que a toada de todo um jogo penda para o lado da sua equipa.

Não é habitual vê-lo em lances de maior notoriedade, mas é garantido que muito do que a Croácia possa fazer na Rússia, passa pela qualidade de decisões do seu meio campo, onde Rakitic encaixa como uma luva.

Sobre Paolo Maldini 3800 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*