Guia para comentares o Mundial – As possíveis surpresas

Marrocos

Treinador: Herve Renard (Francês, com duas vitórias na CAN)

Ainda é uma incógnita a forma como Herve Renard montará tacticamente a sua equipa, uma vez que tem alternado por diversas vezes o sistema. Do 433 ao 4231, até ao mais recente 5x3x2.

A certeza é que independentemente das âncoras tácticas, o estilo e as grandes decisões quanto aos comportamentos nos métodos de jogo se manterão.

Embora chegue de África, Marrocos assenta o seu jogo num estilo mais moderno que procura em organização ofensiva chegar à frente pelo jogo apoiado, beneficiando do talento expresso em qualidade técnica dos seus executantes, em detrimento das típicas cavalgadas e do impor de um jogo com ritmo alto e correrias a todo o instante.

Com bola denota facilidade e qualidade para ligar o jogo desde o muito valoroso trio de centrais (Benatia, Manuel da Costa e Saiss, que no Wolwes é médio), até ao sector médio onde pontifica o dez do Galatasaray, o homem que descobre espaços onde estes parecem não existir, Belhanda, e ao ofensivo, onde Zyiech, um dos melhores jogadores da Liga Holandesa faz a diferença pela enormidade da sua qualidade técnica e de decisões. As dificuldades maiores concentram-se sobretudo na última fase ofensiva. Embora consiga ligar o jogo com qualidade até ao último terço, lá chegado, surge em desvantagem. Ou numérica, ou espacial. Constrói e cria, com maior facilidade do que a que encontra para terminar o muito volume ofensivo que produz.

Defensivamente, Renard prepara Marrocos para não aceitar facilmente o domínio aos adversários. Tal opção bem expressa na forma como optam invariavelmente por pressionar opositores, marcando individualmente cada um dos adversários quando estes procuram sair para o ataque. Se tal lhe garante mais erros dos opositores que aproveita para sair no contra ataque com mais espaço para chegar à finalização, também deixa a equipa marroquina completamente exposta defensivamente, quando opositores conseguem quebrar uma das marcações. Na perda, guarda sempre equilíbrio a três defesas, mas dá espaço nos corredores laterais, e à frente do central, uma vez que com bola, há muita mobilidade dos médios, nem sempre garantindo o equilíbrio de um dos médios.

FIGURA:

Zyiech – O dez do Ajax foi uma das grandes figuras da Eredivisie na temporada passada. É um verdadeiro talento há solta no relvado, capaz de definir todo um jogo pela forma como ultrapassa a oposição e define o último passe. Na selecção marroquina poderá aparecer em espaços mais adiantados, o que lhe retirará bola e qualidade de ligação aos magrebinos, mas que aumentará a eficácia da sua selecção nas zonas de finalização.

Candidato a Revelação:

Amine Harit – Tem vinte anos e é a grande promessa de Marrocos na actualidade. O interior do Shalke 04 não é ainda um indiscutível numa equipa africana que tem bastante talento, mas é claramente um sério candidato a surpresa na grande prova na Rússia, pela qualidade que já empresta ao jogo da sua equipa.

Um médio de traços ofensivos, com uma capacidade ímpar para rasgar linhas adversárias em posse, pela forma como progride em velocidade, mas sempre sem perder o controlo da situação.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Um treinador muito fraquinho, até mete dó, com bué talento à disposição. Pode ser que as coisas lhes corram bem.

    Confesso que não vi quase nada do Zyiech. Mas no outro dia obrigou-me a ir procurar a identidade de um gajo que me deixou de olhos em bico com a camisola do Ajax. Espero ver mais coisas daquelas durante a competição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*