De Quintero para James com muito Amor

Tinha referido ambos os colombianos como figuras importantes a seguir no Mundial. Qualidade técnica, percepção do espaço, velocidade de execução, criatividade e qualidade na tomada de decisão. Poderia pedir-se mais? Poderia ser ainda melhor?

Quintero e James provaram que sim! Melhor que dois jogadores tremendos na análise e execução do jogo, só dois jogadores tremendos que se associam um ao outro, para furar linhas adversárias, para combinar, para destruir os oponentes.

Até ao momento são a dupla do Mundial. Classe e descontracção de dois jogadores que brincam com o jogo pela forma como lhe controlam os timings, e quebram as linhas opositoras.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3406 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

2 Comentários

  1. Nada a acrescentar! Futebol em estado puro! Eu gostava imenso de saber a opinião do blog sobre as novas funções do James e a forma que as tem desempenhado no Bayer, e já agora se já alguma vez viram o canal de YouTube da Bundes ligue, que faz vídeos interessantíssimos de vários jogadores na competição, inclusive do James. Continuação de um magnífico projecto.

  2. De facto são uma das grandes duplas do mundial. Mas talvez mais interessante é analisar aqui como realmente são jogadores bastante diferentes, sobretudo no seu posicionamento e movimentações. Algo que poderá talvez explicar o sucesso de 1 e o “fracasso” do outro a jogar na mesma posição e no mesmo clube, à uns anos (apesar de contextos algo diferentes)… Excelente post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*