Segue o líder!

O Brasileirão retorna amanhã, doze partidas foram disputadas até a parada pra Copa do Mundo. Após esse primeiro terço o campeonato brasileiro entrou em recesso com a liderança do Flamengo. A equipe do Rio de Janeiro ganhou 8 partidas, empatou 3 e perdeu apenas 1, totalizando 27 pontos na dianteira da tabela de classificação.

Mauricio Barbieri treinador da nova safra brasileira de comandantes.

O jovem treinador Mauricio Barbieri, 36 anos, entrou como interino no comando do Rubro-negro e tem agradado a diretoria com os resultados conseguidos. Integrante da nova safra de treinadores brasileiros que ganharam mais espaço após o fatídico “7×1” pra Alemanha na Copa do Mundo no Brasil em 2014.

Liderados por seu comandante, os atletas do Flamengo tem se organizado em campo com uma primeira linha composta por 4 jogadores. Nas laterais, pela esquerda Renê faz um trabalho mais defensivo até por conta das suas qualidades e pela direita Rodinei avança mais pelo corredor com fortes conduções, fazendo a equipe ganhar jardas em direção ao ataque. A frente dessa linha se posiciona 1 jogador que protege a defesa, apoia os zagueiros e equilibra a equipe nas transições defensivas. Como um dos pilares dessa forma de jogar, o colombiano Gustavo Cuéllar tem sido o jogador que melhor executou essa função até então.

A frente do volante único se alinham mais 4 jogadores. Nas posições interiores tem se destacado dois atletas, Diego Ribas (33 anos) e Lucas Paquetá (20 anos). O mais jovem desponta como revelação do campeonato, em uma posição mais recuada do que habitualmente atuou na temporada passada. O mais experiente tem assumido a responsabilidade das articulações ofensivas com distribuições de bolas buscando na maioria das vezes os espaços externos do campo. Nas extremidades laterais ofensivas da equipe o que se viu foram comportamentos distintos pelos seus componentes. Enquanto pela esquerda Vinicius Júnior explora e transita pelos espaços externos, na direita Everton Ribeiro sai do corredor lateral e circula muito mais por outras faixas do campo.

O Flamengo chega muito ao ataque pelas laterais do campo, Rodinei e Vinicius Júnior tiveram muito destaque. O lateral-direito pela imposição física e a jovem revelação rubro-negra pela sua habilidade e condição pra efetuar dribles em pequenos espaços. Para que Rodinei tenha espaço e consiga conduzir ou aparecer em progressão pela direita um movimento simples mas muito eficaz tem destaque por Everton Ribeiro. O atleta flutua pelas zonas centrais e preferencialmente busca ser opção para os companheiros nas costas dos meias adversários. Um ponto a ser melhorado nessa equipe de Mauricio Barbieri no momento da circulação da bola são exatamente esses apoios por dentro. Como Everton Ribeiro atua mais pelo lado direito, esse lado costuma ter essa opção com o atleta puxando o lateral adversário pra dentro. O problema é que por vezes faltam mais opções por dentro. Os interiores (Diego e Paquetá) descem muito no campo pra auxiliar um ao outro nessa construção ao ataque, já que os zagueiros pouco auxiliam e Cuellar não tem um papel tão protagonista nesse momento. Diego(destro) gosta de cair pela esquerda e ter uma visão um tanto privilegiada do campo em consideração da sua perna “boa”, pois ajuda a perfilar o corpo recebendo a bola lateralmente e já com o corpo virado em direção ao gol adversário. Paquetá se movimenta bastante e sempre busca se aproximar pra ser opção ao companheiro com a bola, se a bola esta no corredor direito ele cai por lá, se ela vai pra esquerda ele se aproxima, é um jogador muito dinâmico, não se esconde.

Os dois, cada um ao seu modo não buscam os espaços entre as linhas dos adversários e com isso passa a ser uma zona pouco frequentada pelo Flamengo. Vinicius Júnior se sente mais cômodo também atuando mais colado a linha lateral pela esquerda, algo próximo do posicionamento de Neymar na Seleção Brasileira. O Centroavante Henrique Dourado é quem por vezes aparece nesses espaços. Mas por condição e característica suas aventuras por ali são mais para servir de apoio e nunca pra girar e desequilibrar. Everton Ribeiro mesmo que só mais atue pelo lado direito do campo, é quem melhor causa desequilíbrios nesse espaço. Ele tem agilidade pra girar, conduz a bola com velocidade, busca o passe em profundidade e ainda tem o recurso de chutar bem de média distância.

A direção do clube tratou de organizar a casa nos últimos 5 anos e cada vez mais se vê aproximar das grandes glórias. Ainda tem muito campeonato pra ser disputado, muitas coisas podem ocorrer, Vinicius Júnior vendido ao Real Madrid por 45 milhões de euros já não irá atuar mais pelo clube e o treinador terá que encontrar soluções para o seu lugar. Lucas Paquetá vem sofrendo assédios dos clubes europeus e pode ser outro que sairá rendendo boas cifras para os cofres rubro-negros. Paolo Guerrero ainda é jogador do Flamengo e espera ver sua situação resolvida pra colaborar na campanha do campeonato.

Mauricio Barbieri tão jovem para função e pode colocar seu nome no mercado brasileiro de técnicos de uma vez por todas com um gigante brasileiro que está com muita sede de títulos, por toda sua tradição e torcida apaixonada que lhe acompanha por onde for. Além da manutenção da liderança no Campeonato Brasileiro, Barbieri vai encarar dois duelos que prometem muito contra o Cruzeiro pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O confronto reedita a final da Copa do Brasil da temporada passada em que o Cruzeiro levou a melhor ficando com o título.

1 Comentário

  1. O Brasileirão merece mais atenção, principalmente com a evolução dos jovens treinadores, cada vez mais presentes no torneio, que junto dos miúdos que estarão futuramente em torneios maiores como a UCL, formam uma boa sinopse.

Responder a Marcelo Faviere Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*