Assistências, golo, virgulas, cuecas, lençóis, calcanhares e um sorriso do tamanho do mundo

Agora sei que a criança em cada jogador nunca se desliga, sei que não se deve reprimir o aspecto lúdico pelo qual o futebol é chamado de jogo, sei que quando um jogador se diverte, rende o dobro. É um espectáculo maravilhoso.

Maurizio Sarri

Com um sorriso gigantesco que não deixou ninguém indiferente, Jota no final da vitória sobre a Finlândia afirmou que estava “ali” – EUROPEU, para se mostrar e para se… divertir.

A forma como o referiu, com uma alegria contagiante fez-me ir ver o jogo, à procura do porquê. Infelizmente, não é nos dias de hoje assim tão comum ver os jogadores a saírem de campo com tamanha alegria, mesmo que vencendo. O futebol é profissão e nada contra isso.

Mas, é também um jogo. Um jogo que tem na sua origem, no momento em que qualquer criança o inicia como prática, um mundo de prazer e ilusões.

É quando esse mundo e essas ilusões não desvanecem com as amarras que o passar dos anos vai trazendo que a magia acontece.

E que MAGIA, meus senhores. A exibição de Jota no jogo que Portugal venceu a Finlândia chega a ser tocante. Não pelo golo, ou pelas duas brilhantes assistências, mas por um retornar à infância.

No palco do Euro sub 19, Jota foi apenas mais um miúdo traquina que se diverte com os amigos, e que nos diverte e enche de alegria só por o podermos ver.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3380 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

9 Comentários

  1. Maldini, deixo uma pequena sugestão/provocação – para quando um artigo sobre os jogadores em destaque nas seleccoes d base de Portugal ? Há muito talento espalhado pelas nossas seleccoes há que reconhecer que tem sido feito muito bom trabalho a este nível, nem querendo ser crítico de Fernando Santos até porque os patamares não são comparáveis mas a realidae e que até apresentamos nas bases melhor futebol!
    Sei que vale o que vale, mas a ver este jogo não deixei de ficar surpreendido com tanto talento na seleção portuguesa, há ali muito jogador que evidencia muito talento desde Jota, Trincao (que pé esquerdo meus senhores) e Quina (passe e visão de jogo muito acima do normal). Mas os que mais me surpreenderam por serem para mim desconhecidos foram todos os elementos da defesa e o Florentino que apesar de conhecer dos jogos da equipa b do benfica aqui a jogar com os pares destaca se pela sua simplicidade.
    Abc

  2. Muito talento, promete, mas muita aselhice também. Contra uma equipa mais evoluída técnica e tacticamente não deverá conseguir ser o brinca na areia que se passeou como se viu contra a Finlândia. Se conseguir ser mais inteligente na abordagem aos lances e ter mais visão de jogo, teremos certamente um novo Rui Costa.

      • Sim, basta ver o vídeo e verificar quantos bons lances desperdiçou. Não tenho conhecimento pois não vi o jogo, mas gostaria por exemplo saber, se andou a recriar-se tanto no jogo contra Itália onde Portugal perdeu 3-1? Seria muito interessante sabê-lo… Contudo, tal como concluí, pode ter um futuro brilhante… veremos!

1 Trackback / Pingback

  1. Europeu Sub-19: Onze da 3ª Jornada – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*