A Ideia que permite a Variabilidade – O todo poderoso City

Para o Man City de Pep Guardiola já quase não existem adjectivos para qualificar a qualidade do seu jogo.

Uma equipa que controla e sobretudo Domina o jogo todo com a bola, mas sempre com a clara Intenção de conseguir criar perigo, de se aproximar do Golo!! Não tem a bola por ter, não circular por circular.. tudo o que faz tem uma Intenção.

Joga para marcar , respeita os espaços e os tempos do jogo.

E é este respeito pelas velocidades da velocidade que permite que o City seja exacto (no timing) e preciso (no espaço) no que faz.

Uma eficiência que permite que haja uma eficácia que valoriza ainda mais a forma de jogar deste City.

Na matriz, na Forma, o City de Pep tem uma Identidade que permite ser identificável e permite identificar a sua equipa.

Porém , é pela diferente manifestação da Ideia , sendo que a Ideia NUNCA deixa de ser a mesma e com um respeito infindável pela sua matriz .

Uma Variabilidade que permite que A Redundância (Ideia) não cristalize, não estagne, não se torne mecânica nem previsível.

O City respeita todos os espaços, todos os tempos, como podemos ver no vídeo abaixo , o City cria por dentro, por fora , pelo chão, pelo ar, com passe comprido, com passe curto..

Com o critério inerente à posse e circulação do City, sem nunca existir um fecho que guie a equipa para a mecanicidade, esta equipa torna-se Previsivelmente Imprevisivel.

Pois sabemos como será a Forma (no plano Macro) mas nunca sabemos como irão ser as formas da Forma ( a concretização da sua Intenção Prévia).

4 Comentários

  1. Belas frases sobre as formas mas a unica Forma imprevisivel é a finta dos jogadores dentro de uma mecanisaçao variada; é uma forma da Arte enquanto que as formas do sistema de jogo sao escolhas no leque possivél de decisao. A finta é a tal manifestaçao da bela Forma, escondida e por isso sempre imprevisivel. No principio do video, quando o jogo està mais fechado, vê-se por exemplo o David Silva a mudar o jogo, seja em fintas ou descobrimento de novos espaços na linha movente do fora de jogo ; o resto é controlo absoluto do jogo graças à estrategia porque antes de tudo, é o posicionamento dos jogadores que permite a posse de bola garantindo possibilidades de passes horizontais ou verticais. Se nao fosse as fintas do jogadores do City, essa grande variabilidade de jogo seria esteril com adversarios bem organisados defensivamente .

    Claro, o Guardiola potencia mais esse tipo de jogadores como o novo Sevilha em 3/4/3 permite o reaparecimento de génios como Banega ou Franco Vasquez.

  2. Classifico este video como uma bela maquina em movimento mas igual ao principio primeiro da Maquina,ela repete e nunca pode inventar do nada.
    Prefiro hierarquizar os meus gostos e assim estabelecer a Forma da finta mais alta que as formas colectivas da estrategia que sao treinadas e repetidas porque a finta é mais intuitiva, imprevisivél, inteligente, creativa mas tambem mais humana.
    Em resumo, a creatividade da finta està em cima do mecanismo.

    Porque hierarquizar? Porque a finta regenere sempre o jogo do futebol que sem ela seria aborrecido. Graças à regra do fora de jogo, a finta que permite mudar o paradigma de um lance vê novos espaços e o jogador que sabe os ler antes de todos, possui a ciencia do jogo e muda todas as estrategias dos treinadores. E por causa disso que a finta é a alma do futebol

Responder a João Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*