A magnífica estreia de Palhinha, no salto para a liderança do Braga

O colectivo do Sporting de Braga tem sido um espaço seguro de crescimento, onde vários ex jogadores dos três clubes mais titulados de Portugal têm aproveitado para mostrar argumentos, e causar dúvidas sobre se não são eles próprios melhores do que tantos outros que por lá (SLB, FCP e SCP) ficaram. Wilson Eduardo, Ricardo Esgaio, Ricardo Horta, e na temporada passada também André Horta e o próprio Jefferson, são exemplos.

Na presente temporada chega à Pedreira João Palhinha, e logo pela estreia torna-se fácil adivinhar uma época de enorme sucesso para o médio português.

Num modelo que coloca sempre cinco jogadores nas costas dos médios adversários, que utiliza centrais para progredir, aproximando-os em posse até do último terço (aquele que está no lado da bola), é fácil adivinhar a preponderância que ganhará no Minho, um elemento com a inteligência táctica e preponderância física de João Palhinha no equilibrar de tão ofensiva equipa.

Muito forte em todas as acções defensivas, sejam estas interpretar o jogo e perceber momento de sair rápido ou ficar, compensar posicionamentos de colegas ou ser mais pro activo na recuperação, ou a forma como parte para os duelos, no ar ou no chão, onde invariavelmente se impõe no seu espaço, Palhinha será o ponto de equilíbrio que Abel precisava na sua Transição Defensiva, e o homem sagaz nos momentos para roubar em Organização Defensiva.

Na estreia na Pedreira, Palhinha foi ainda mais que o médio de traços defensivos que tantas vezes as equipas necessitam para dar azo ao seu caudal ofensivo. Para além da forma como equilibrou a equipa e se impôs em todos os duelos, soube ser criterioso em posse, mesmo que tal o levasse a um papel menos visível de fazer a bola rodar pelos centrais, e ainda trouxe argumentos quando apareceu nas zonas de finalização.

 

5 Comentários

  1. Diferença enorme para o Palhinha que jogava no Sporting. No Sporting parecia um jogador sem confiança nenhuma, que com a bola nos pés tremia por todos os lados. No Braga parece muito confiante, a continuar assim será uma das boas surpresas da temporada.

  2. É um pouco estranho ficar com o Petrovic e prescindir do Palhinha …
    Mérito para o Braga e para o Abel em aproveitarem as sobras dos outros.

  3. Olha! Outro que não tem experiência e que não está preparado. Mas o Petrovic e o Bruno Paulista ou o Bruno César jogam bué! lol

Responder a Tilo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*