O posicionamento, a orientação corporal – não mais existirá igual

Há um sem número de variáveis que devidamente analisadas contribuem para a perfeição na tomada de decisão. Há quem visualize colegas, quem consiga decidir em função de colegas e opositores, quem faça por fazer sem imaginar nada, apenas porque é assim que aprendeu a satisfazer a bancada, e há quem tenha um grau de minuciosidade tão grande na forma como analisa tudo que roça a perfeição.

Leo Messi, o melhor jogador de toda a história, que um bando de retardados resolveu nem sequer eleger para o pódio de um troféu, agora menor, demonstra a importância e a qualidade da sua decisão, pela forma como analisa tudo. E vê, interpreta e analisa, mesmo rodeado de adversários, mesmo enquanto se desenvencilha de opositores ali bem junto a si, enquanto vê o que se passa ao longe. Creio que quem tem oportunidade de jogar ou ter jogado futebol, mesmo a um nível amador ou até lúdico, compreenderá ainda melhor a quase impossibilidade de fazer o que faz. Como é possível estar ao mesmo tempo a driblar uns quantos, enquanto se vê ao longe o que se está a passar?

O primeiro golo do Barcelona no campo do Tottenham é simplesmente irreal. Com base na orientação corporal de Trippier, Messi toma a sua decisão. A defesa do Tottenham estava bem posicionada, o lateral próximo do central, e não havia espaço no momento em que Messi faz o passe para que a bola passasse por entre elementos. Mas, Messi fê-lo. Conseguir o impossível? Um tiro à sorte? A velocidade com que vê e toma decisões não encontra paralelo com mais nada nem ninguém neste jogo. Decidir em função de ter “adivinhado” o movimento que Trippier ainda não tinha feito, com base na sua orientação corporal, é todo um novo nível, de um tipo que cada vez mais parece ter saído de outro planeta. Simplesmente ninguém pode ser assim tão bom na sua profissão como Leo.

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3385 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Dirão os mais parvos que só faz isto contra equipas pequenas. E repare-se que nem foi passe de meio metro, a bola ainda voou 20 a 25 metros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*