A importância da posição corporal no jogo moderno

Estar bem posicionado não é só estar no local certo à hora certa. A velocidade do futebol actual e a rapidez a que os contextos mudam é abismal. E o espetador que não está pertissímo do relvado, dia após dia, não consegue ter a real percepção do que afirmo.

Hoje em dia, o jogador tem de estar permanentemente a ajustar-se em relação ao contexto, quer ofensiva como defensivamente. Mais do que isso, é faze-lo à velocidade do jogo que cada vez é maior (por exemplo, quanto mais lento é o jogo mais lenta pode ser a minha percepção, deslocação, ajuste corporal, etc). E como se tudo isto não bastasse, o jogador tem de estar a prever o contexto que virá a seguir, preparando-se para esse (por exemplo, um lateral que está projetado a atacar, quando a bola está no corredor contrário tem de equilibrar e se o portador estiver em risco de perda este tem de começar a deslocar-se para a sua posição. Ou seja, está a analisar o contexto, prever o que se seguirá e a preparar-se para tal).

A defender, não basta um jogador estar bem colocado, não basta fechar quando tem de fechar ou montar a defender um cruzamento no sítio que deve. Ainda tem de estar com uma posição corporal que o permita abordar o lance da melhor forma e na menor velocidade possível.

Olhando para o segundo golo do Watford, podemos ver que Bennett, o central do lado direito, até está bem posicionado quando o portador está a conduzir para a linha defensiva. Mas está completamente virado para dentro, o que o fez ter de rodar sobre si mesmo para se orientar para fora que era onde presumivelmente a bola iria entrar. Demorou muito a faze-lo e quando saiu o passe, Bennet encontrava-se a rodar, e ficou logo fora do lance.

Neste lance, o que Bennett teria de fazer era fácil e não depende de nenhuma interpretação superior, é uma situação fechada. Fechar à máxima velocidade de forma a que a bola não entrasse por dentro e orientar os apoios para fora rapidamente quando estivesse dentro. Assim estaria preparado para saltar no portador que ia receber fora e colocar-se entre a bola e a baliza. Demorou bastante tempo a faze-lo e isso inviabilizou uma melhor defesa deste lance.

 

3 Comentários

  1. Ainda têm o artigo com o vídeo do Rúben Dias frente ao United? E a forma como ele coloca os apoios fazendo com que Mata, no meio-campo, hesitasse em colocar a bola em profundidade para Lukaku, que estava na área? Esse exemplo foi brilhante e merecia republicação!

Responder a Francescoli Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*