Que bola é essa, menino!?

Marcado pelas costas, e mesmo de costas para o espaço vazio, João Felix já havia identificado onde a bola poderia entrar – Veio pedir no pé para iniciar contra ataque, mas rapidamente percebeu que havia caminho melhor, depois de trazer consigo o oponente.

Tudo normal, sem rasgo de intensa genialidade, embora exigisse já uma boa tomada de decisão sem bola e correcta leitura do jogo.

O que difere o menino dos de mais é a forma como toca na bola. Uma coisa de outro nível!

 

2 Comentários

  1. Incrível este miúdo. A forma como enganou o adversário, a forma como mostrou ao colega onde por a bola, a forma como fez assistência paga o Jota marcar.

Responder a Sérgio Gonçalves Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*