O belo brasileirão

Em terras onde Scolari se prepara para voltar aos grandes triunfos, ainda há muito por onde crescer. Uma percentagem muito significativa dos golos ainda surge ou de bola parada, ou por erros grosseiros próprios da falta de controlo por ausência dos bons comportamentos nos diferentes momentos do jogo.

Trago dois golos da passada jornada como exemplo. O primeiro, com a tradicional dificuldade defensiva em montar a defesa aos cruzamentos, e o segundo, num lance de maior complexidade. Desde a lenta reacção à perda da bola, até à péssima definição do lance do defesa central. Não marcou em Transição Defensiva, e quando resolveu sair, foi tarde, permitindo que o adversário com bola rodasse, e ainda aproveitasse a sua ausência da linha defensiva para fazer o último passe.

 

3 Comentários

    • Já tivemos um treinador português na principal divisão do melhor estadual aqui no Brasil (Sergio Vieira), quando na Ferroviária foi muito bem, mas no São Bernardo acabou rebaixado de divisão…
      Difícil talvez não seja, só que ele sofreria pois o jogador brasileiro não entende os conceitos de jogo, tanto na execução dentro de campo, quanto no termo utilizado, visto que aqui isso é novo e raramente trabalhado…

Responder a Silvio Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*