O regresso de Renato – Em Guimarães e em Munique

O médio, mesmo tendo sido o mais novo jogador de nacionalidade portuguesa a pisar o relvado de Guimarães, atravessou uma longa temporada longe dos holofotes que lhe surgiram tão cedo.

Continuando a ter tempo de jogo no poderoso Bayern, Renato tem condições fantásticas para dar um salto qualitativo nas suas performances.

Na noite de Guimarães foi o português em maior destaque, porque aos habituais momentos de maior “fulgor” capazes de entusiasmar pelos desequilíbrios que cria mesmo no corredor central, foi também capaz de jogar simples, quando tal se impôs. Fosse em acções como tocar rápido em quem está de frente, ou procurar os apoios dos colegas entrelinhas.

Menos “sofrego”, Renato também porque cresce numa equipa que da mesma forma que não tem um jogo que vá ao encontro do que melhor tem para dar, também o prepara para ter mais armas no seu jogo, surgiu mais criterioso.

A sua percentagem de boas acções tem crescido exponencialmente, e também por isso vai tendo as suas oportunidades num dos mais poderosos do mundo.

Renato na presente época:

 

E Renato, em Guimarães:

 

3 Comentários

  1. Também achei que fez um jogo fantástico. No entanto, e precisamente devido à sua presença em campo e à de Danilo, não Ruben Neves, fez-me pouco sentido a inclusão do WC… acho que se perdeu muito em termos de construção ofensiva, não?

    Quando joga Ruben Neves, acabo por perceber pq o WC constrói e cumpre muito bem defensivamente, mas com o Danilo… acho uma duplicação de papéis desnecessária.

  2. Concordando com a sua análise não posso aceitar que tal seja positivo,pois o Futebol terá que ter espaço para jogadores selvagens e não estereotipados.
    Ao “domesticarem” uma força da natureza de espirito selvagem e irreverente estão a tirar-lhe quase tudo para ganhar quase nada. Ainda que o acerto da decisão possa ser maior. Mas não dá o prazer juvenil do futebol de rua e o futebol actual carece dessa poesia e diferença. Melhores Cumprimentos

    • Percebo que haja muita ilusão relativamente ao Renato (inclusive ao que parece aqui no Lateral Esquerdo, onde ainda acreditam no potencial dele). Mas falar em “domesticar” não faz sentido. Quanto muito, ensinar. O problema do Renato é que não percebe nada do jogo, falta-lhe inteligência futebolistica. Se tivesse aparecido há 20 anos atrás provavelmente teria sido alguém no futebol. Assim, irá sair mais dia menos dia do Bayern (este sim que deu um salto qualitativo gigante… mas no sentido de retroceder) e acabar em equipas de meio da tabela nas principais ligas, salvo pela fama que já conquistou.

Responder a Ricardo Perna Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*