Descodificando um génio

Na noite de ontem, o Benfica apresentou em simultâneo dois dos seus três mais talentosos. Faltou Jonas, claro.

Talento expresso na capacidade para decidir, percebendo e vendo com uma qualidade extrema, tudo o que se passa ao redor, e qual o caminho que aumentará as probabilidades de mais tarde a bola chegar à baliza adversária, e qualidade na execução para dar corpo ao que a mente alcança.

Krovinovic e João Felix, pois claro.

Dois jogadores ainda em processo de crescimento, por diferentes razões.

Com eles, associando-se a Jonas, o Benfica tem potencial para voltar a crescer e encantar na realidade nacional.

É nas coisas “simples”, que está a qualidade e a capacidade para ligar o jogo colectivo até à zona de finalização. É no ver sempre, e por vezes ver até mais que os próprios colegas.

Trago-vos uma lição de decisões e execuções de João Felix, na noite em que, tivesse coabitando o espaço com um avançado de outra competência e teria saído da Luz com uma mão cheia de assistências, juntando assim uma exibição sublime à notoriedade. Ora veja:

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3416 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

13 Comentários

  1. Como é óbvio, vai para o banco/bancada no próximo jogo. A decisão de Rui Vitória de escolher cavalos de corrida em vez de jogadores de futebol, para um jogo de futebol, diz bastante da ideia que tem para o jogo do Benfica. Um homem que tem acesso ao melhor perfume mas continua a teimar a querer cheirar a cavalo.

  2. Um quebra cabeças o plantel do Benfica do meio campo para a frente.

    Tendo de escolher 4 entre gedson, pizzi krovinovic zivkovic, rafa, e Félix, quem é que deixavam de fora?

  3. É um quebra cabeças sem dúvida…
    Mas porque acho que o jogo evolui, colocaria Gedson (mais recuado) Zivkovic Krovinovic Rafa Félix e Jonas.
    Gostaria de ver o Benfica com um 6 mais Busquets 🙂
    Tem lá um bom miúdo da formação para isso.

    • Falamos do Florentino ?
      E que este menino joga muito e está a crescer a olhos vistos, é um regalo vê lo jogar … Não faltará muito para assumir lugar do fejsa.
      Ontem fiquei surpreendido com o alfa semedo, ao nível de condução e em termos técnicos e mais evoluído do que pensava …

  4. É aquele jogador típico de sabe tratar a bola, cada vez que toca nela vê-se qualidade. E nota-se de facto que é bem mais inteligente que os colegas, sempre de cabeça levantada, e até antes de receber a bola já olhou em redor. Tem é de ter colegas competentes a jogar com ele e isso é mais difícil de acontecer. De resto a defender tem de ser talvez um pouco mais agressivo..

  5. No próximo Mundial já deverá dar para um Felix-Dantas-Bernardo. É quase só não estragar.
    Voltando ao Benfica, parece uma fábrica de Ferraris a ser pilotada por um camionista.

  6. É isso mesmo! O miúdo é mesmo muito bom!
    Juntamente com o Krovinovic, traz o futebol do Benfica para o corredor central e com Jonas, mais ainda.
    Agora há que “operacionalizar” e essa é neste momento a questão em foco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*