João Silencioso, o parceiro de Jambor

João Schmidt, o quinze do Rio Ave é um dos jogadores interessantes da Liga, fora do radar dos primeiros classificados.

Um dos mais interessantes pela incrível percentagem de acerto nos lances em que intervém. Embora pouco “vistoso”, Schmidt reúne os traços necessários para se ser competente na posição. Mais do que a agressividade defensiva, e também o é, e também vence sucessivamente duelos, é o médio mais recuado que acrescenta qualidade a ligar o jogo, e que mesmo aquando do momento defensivo, tem argumentos para pensar mais adiante, ligando a recuperação com a saída ofensiva.

Qualidade técnica e capacidade para tomar decisões muito elevada no contexto Liga NOS, o seu pé esquerdo é um dos maiores atractivos.

É um “seis” que pensa, pausa e acelera o jogo desde a posição à frente dos centrais. Simplicidade e inteligência, aliada a uma técnica muito apreciável.

Jogo após jogo, com pouquíssimo erro, e a construir e edificar o jogo dos vila condenses.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3721 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Entre o Jambor e Schmidt, nos jogos do Rio Ave que vi, curiosamente, tinha notado mais neste ultimo do que o primeiro, mas pelo que vi na “amostra” do outro post, o Jambor é muito interessante. Acho que com regularidade pode seguramente ter nível para um grande.

    Quanto ao Schmidt há aí um grande a precisar de um 6 e andou à procura na Russia (que honestamente não conheço) quando tinha um aqui tão perto e pronto para entrar e jogar sem necessidade de adaptações.

    Enfim escolhas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*