O novo jogo – A reinvenção – De Lage a Pep, na noite de Keizer

O alto rendimento é uma identidade que tenha diversas formas de actuar. A estratégia, que é a selecção dos recursos para chegar à vitória, é típica do alto rendimento.

Francisco Silveira Ramos


Em função da análise que fazemos ao adversários, eles também fazem a nós. É termos capacidade de nos reinventarmos. Vai acontecer neste jogo, vamos jogar com uma equipa que joga num sistema diferente. Temos de sentir isto, a nossa evolução, análise do adversário e reinventarmo-nos para não sermos previsíveis


estamos a jogar de três em três dias… é preparar a melhor estratégia e escolher os melhores para vencer

Bruno Lage

A recepção do Sporting ao Sporting de Braga trouxe o melhor Sporting da temporada. Elaborar uma estratégia para determinado jogo, não significa que se deva perder identidade. É um erro comum entre quem desconhece o que há para pensar e decidir num plano de jogo. Situações tão simples como decidir o sentido da pressão, ou pedir determinado movimento em determinado espaço e situação para arrastar X e possibilitar entrada de Y, porque se observou que aquele adversário irá acompanhar no HxH naquela situação, não implica mudar o sistema ou o modelo. É apenas o colocar do pormenor que nos dias de hoje faz a diferença no rumo do jogo, e tantas outras vezes no resultado.

Sporting com posicionamentos tácticos em Organização Ofensiva iguais aos do modelo do Braga

Toda e qualquer mudança deve antes de tudo o mais ser ensaiada no campo de treinos. Para se ter sucesso, é necessário bastante mais do que mudar porque no papel parece bem.

Ninguém sabe ao certo como preparou Marcel Keizer as alterações introduzidas na partida com o Sporting de Braga. Contudo, é inegável o quão vencedor sai desta partida o treinador holandês. Mais do que em qualquer outro jogo, o Sporting foi superior, venceu com inteira justiça e manteve a sua baliza inviolada, algo tão pouco comum. E para tal, a forma como Keizer surpreendeu a oposição foi a chave de todo o triunfo, e do melhor jogo leonino durante o seu período. Do outro lado, Abel surpreendido bem cedo, bem comunicou para dentro tentando corrigir, mas ao contrário do que havia transmitido em Hoffenheim, revelou-se ineficaz.


O futuro é como o jogo do gato e do rato, em apenas um jogo de futebol… adaptar mudanças tácticas para reagir ao teu adversário. Na Liga Europa do ano passado, fomos a Hoffenheim [Braga venceu na Alemanha 2 a 1]. Eles começaram em 5x3x2, e mudaram para um 4x3x3 durante o jogo. Nós começámos num 4x4x2, e terminámos num 5x4x1 para combater o que nos estavam a provocar.

Abel

Bruno Lage falou da importância do “reinventar-se” na era da estratégia, porque o modelo imutável é previsível, e portanto mais passível de ser anulado.

Keizer reinventou o Sporting, e manteve viva a possibilidade de chegar ao pódio da Liga NOS.

Porém, é importante perceber que a era da estratégia surge, porque em cima de modelos competentes, é o pormenor e o adaptar que traz as vitórias. Mas, EM CIMA DE MODELOS COMPETENTES. Para continuar a vencer, o Sporting continua a precisar de melhorar os comportamentos do seu modelo. Porque se vencer de forma regular na actualidade exige cada vez mais do pensamento e engano sobre o adversário, sem uma boa base de comportamentos / competências próprias de nada importará saber como colocar constrangimentos na oposição.

Sobre o jogo e o treino estaremos um dia inteiro a falar, no Fórum do Lateral Esquerdo, com mais de uma de dezena de convidados do alto rendimento, para que todos possamos continuar a crescer


INSCRIÇÕES PARA O FÓRUM JÁ ABERTAS (AQUI)


Com o apoio da CM Paredes e da Parjovem, com o patrocínio do CGD e da Prozis, e com o RECORD como media partner. – Brevemente divulgaremos mais convidados que se juntarão a: Manuel Cajuda, Fernando Valente, Rui Quinta, Ricardo Sousa e Bruno Fidalgo.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3746 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

4 Comentários

    • Essa é difícil de responder… para poder dizer isso, é preciso ver melhorias naquilo que mais dúvidas sempre causou… que tem a ver com a qualidade dos comportamentos mais de pormenor… não é porque num jogo abriu a pestana que consigo logo dizer que está a crescer… Esta astúcia que revelou… precisa de ser acompanhada com bons comportamentos no modelo, como o refiro no texto. Que acredito que chegarão… mas o tempo que o Keizer precisa para se tornar no treinador que o Sporting precisa… não me parece que o venha a ter… quando há outros que precisarão de muito menos!

      • O Marcel Keizer é um grande treinador, para mim ao nível dos melhores do Mundo, não é qualquer um que consegue 30 golos em 7 jogos, nunca o Sporting praticou um futebol tão avassalador na sua história, em poucos meses já venceu uma Taça da Liga perante Braga e Porto e está na luta pela Taça de Portugal e Liga Europa.

        A Liga está mais complicada, mas o 3º lugar está ao alcance, o plantel é dos melhores que tivemos nesta década, mas estava desequilibrado e com os reforços de Janeiro estamos bem mais equilibrados, a tendência será a equipa melhorar até à reta final, o facto de alterar o sistema tático, mostra versatilidade tática do mesmo e a preocupação em melhorar o coletivo da equipa.

        Não é em 4,5 meses que se constrói uma equipa, dêem tempo ao homem e tenho a certeza que seremos campeões nacionais, o homem já mostrou que é diferente dos demais, para a próxima época com um planeamento decente de época, com mais 4,5 reforços, mais jogadores da Academia e base da época anterior e temos tudo para sermos campeões.

  1. Excelente análise, na minha opinião, de uma mudança que ficou bem patente para quem seguiu o jogo na televisão. Aos 20′ Sequeira ainda não sabia se deveria manter Ristovski debaixo de olho e deixar o carrossel do meio-campo do Sporting entregue aos seus companheiros do meio-campo, ou atacar o interior que aparecia na sua zona (Wendel, muitas vezes) e deixar Ristovski aparecer nas costas e confiar nos centrais para resolver. Uma pergunta (que isto das mudanças traz sempre novas questões): o Borja parece-me um jogador com algumas competências; será o homem certo para fazer de “terceiro homem” atrás neste 3x4x3? Nota final: melhor jogo de Gudelj em sede de recuperação de bola, aspecto que julgo não ter sido alheio à melhoria geral da equipa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*