Actualidade leonina

O Lateral Esquerdo esteve no Podcast Sporting 160 (aqui)

E ficam aqui algumas das intervenções:

O que temos visto é uma equipa à deriva. Uma equipa que revela uma certa anarquia do ponto de vista táctico, que se reflecte a cada fim de semana.

Um conjunto de dinâmicas de tal forma variado que o que parece é que quer muitas coisas, mas não consegue nada com o rigor que deveria ter… Existem demasiados comportamentos aleatórios… vimos pouco padrão de jogo

Não estou certo que exista um caminho que o treinador do Sporting queira seguir…

Quem olha para o futebol de Keizer com vista larga … podemos perceber que é um treinador que gosta de um futebol de posse, ofensivo, no entanto se formos perceber ao pormenor como a coerência das ideias se interligam, há pouco sumo. O Sporting é uma equipa com pouco padrão. Se analisarmos é provavelmente uma das mais difíceis de analisar do campeonato, e isso não é bom. Porque ter padrão é bom, identificar coisas que se repetem muitas vezes é bom, e ainda que a variabilidade seja importante, é importante não confundir variabilidade com anarquia. Existem demasiados jogadores com liberdade para fazer muitas coisas, e sobretudo em termos ofensivos o Sporting vive um jogo completamente aleatório.

Há pouca organização defensiva no Sporting. A pressão que o Sporting fazia não era organizada… cada um corria para si, não havia uma organização colectiva em que todos corriam no mesmo sentido. Os momentos certos para pressionar, para abafar, para controlar e para depois voltar a pressionar… o Sporting não é essa equipa.

O que me parece é que há alguma desorganização, não só nos momentos de pressão… os chamados referenciais de pressão não existem, e sobretudo pelos posicionamentos. Os seus jogadores são muito arrastados e abrem espaços para os adversários entrar.

Ele [Gudelj] são mais vitimas da Organização Defensiva do que culpados

Fala-se muito de jogadores, mas o problema do Sporting é colectivo. É um problema de processo, de ideias. O Keizer já mudou tanta coisa e… não há um padrão definido. Tenta fazer muita coisa e não faz coisa nenhuma

O Miguel Luís evidencia qualidade no que é o trabalho defensivo e a partir daí traz vantagens…

O aparecimento dos jogadores depende do que a ideia proporciona. Da forma como o Sporting trabalha, poderia ser o Makelele a defender porque os problemas iam ser semelhantes. O Miguel Luís já tem uma percepção do jogo que ajuda mais a proteger o espaço, mas isso é um trabalho que tem de ser do treinador. Se do ponto de vista ofensivo é mais difícil de trabalhar porque depende das decisões da qualidade do jogador, do ponto de vista defensivo o rigor tem de vir do treinador. E no Sporting não existe esse rigor.

Todos os comportamentos que o Sporting apresenta no processo defensivo, denotam que não existe rigor no trabalho. Para lá de que talvez exista um desconforto no trabalho zonal. Não sei se o Keizer está habituado a trabalhar de forma zonal… não aparenta porque existem muitas lacunas, e é uma equipa que facilmente se desprotege, as ideias não são nada coerentes do ponto de vista defensivo, e a equipa quando é obrigada a defender, não está preparada.

[achas possível corrigir-se os problemas defensivos com pré-época?]

Eu considero a pré-época fundamental na preparação e operacionalização do modelo de jogo, e pode ser uma atenuante para o Keizer, no entanto quando reparamos no pormenor que não existe, no trabalho sectorial de uma linha de 4, na forma como as coberturas se movimentam, na forma como os médios centro se intercalam à frente dos centrais, coisas básicas… que não surgem. E isso não precisa de ser trabalho de pré-época. Esse trabalho defensivo em 2/3 semanas já tem de aparecer. Do ponto de vista defensivo, que exige uma tomada de decisão que envolve menos factores, com um trabalho de 1/2 semanas já tem de se ver algo melhor do que o que apresenta se as ideias forem boas. E neste caso, não me parecem…

O Sporting não está a conseguir criar para o Bas Dost… actualmente o Sporting usa o corredor central, mas não como antes. Procura sobretudo o desequilíbrio pelo corredor lateral, mas nem ai tem tido sucesso. E sendo o Bas Dost um jogador que passa grande parte do jogo sem tocar na bola, se o Sporting não cria, menos ele aparece

[Bas Dost pode ser um problema?] Tudo depende da forma de jogar… a verdade é que o Jorge Jesus foi um treinador que o potenciou ao máximo dentro do seu modelo de jogo… Poderá ser um problema se a ideia do treinador não contemplar as características do seu próprio avançado. Se for um pouco ditador em relação às ideias que tem.

É raro o treinador que escolhe todos os jogadores com os quais vai trabalhar, e isso é importante. Reparemos o caso do Sérgio Conceição com o Marega. Eu também queria um ponta de lança que viesse em apoio, que soubesse jogar entrelinhas, que atacasse profundidade, que fosse inteligente a cada movimento, a cada decisão com bola… mas não há. Se não há, temos de ir ao encontro dos nossos jogadores, criando ideias que potenciem o jogador. No caso do Porto, potenciou o Marega. Se o Bas Dost não é bom em apoio, então temos de criar outras coisas para que ele se destaque – Jogo exterior de qualidade, pormenor no ataque à zona de finalização

O Bas Dost é um finalizador, faz muitos golos e isso é raro, por isso há que encontrar as melhores soluções para o potenciar

O Mathieu é um central de enorme qualidade, compreende o jogo como poucos, ofensivamente… cria desequilíbrios saindo em condução… Saindo o Mathieu para entrar o Luis Neto, parece-me um retrocesso muito grande em relação aos dois centrais… O Sporting vai ficar a perder muito sobretudo em termos ofensivos, mas não apenas

O Ilori com bola é muito capaz, precisa de ser melhor explorado. O Neto não me parece que venha acrescentar [se for titular]

É uma diferença enorme [passar de Coates e Mathieu para Ilori e Neto]

O Sporting precisa de centrais competentes com bola que saibam ligar construção com criação… toda a gente nota diferença quando não joga Mathieu… não retirando valor ao Neto… mas saindo o Mathieu… deveria chegar alguém com o mesmo perfil

[Borja] não me parece ser um jogador com uma capacidade de decisão diferenciada mas tem atributos físicos que o podem levar a ser importante, se for bem aproveitado. É rápido, ágil no momento do drible, consegue atacar profundidade com bom timing, ainda que no ponto de vista defensivo tem falhas de posicionamento, mas sofre um pouco com o colectivo. Tem margem de progressão para ser o titular da lateral esquerda.

[Francisco Geraldes] tem tudo… tecnicamente muito evoluído, capacidade de entendimento do jogo, envolvimento com a equipa, conhece o jogo, não encontro razões visíveis do ponto de vista táctico e técnico para que não jogue… mas a verdade é que a sua ausência já vem de vários treinadores, o que poderá significar alguma coisa… não quero estar a especular, mas alguém terá que ter razão…

Entendo que a questão deverá ser algo extra jogo que o prejudique, porque o resto o Francisco tem e poderia acrescentar algo ao jogo do Sporting, e ele alia a capacidade de decisão dentro do bloco adversário à capacidade para construir…

[Francisco com Bruno Fernandes?] Difícil mas possível, até porque o Wendel me parece com maiores dificuldades tácticas no momento defensivo. Agora percebe-se porque Jorge Jesus não o lançava… tem dificuldades evidentes no posicionamento defensivo

Estamos no Twitter de novo. Já nos segues?

1 Comentário

  1. Devo ser o único sportinguista que gosta de Keizer, quando veio fiquei receoso, porque não tinha currículo de 1ªLiga, mas percebi que a direcção foi pelo perfil e não pelo currículo e o Keizer tem esse perfil de clube grande.

    O Keizer tem uma forma de estar própria, é metódico, versátil taticamente e ambicioso.

    O Plantel do Sporting é muito limitado, sem dúvida o pior dos últimos anos, não temos laterais, médios e alas, alternativas aos titulares quase não existem, pedir que Keizer vencesse já tudo era ser irrealista.

    Um treinador que faz 30 golos em 7 jogos com Bruno Gaspar, Gudelj, Wendel, Acuna ou Diaby merece o meu respeito e nunca pode ser um treinador banal, a verdade é que marcamos muito mais golos do que com Jesus e estamos na Liga aos mesmos 8 pontos de outras épocas e com menos meios.

    Não tenho saudades de Jesus, a época passada fizemos só 60 golos na Liga, sofremos 24 golos, na 2ªépoca sofremos 36, recorde desde Godinho Lopes, não percebo o que vêem no Jesus, com os meios que teve devia ter feito bem mais.

    O Jesus com este plantel há muito que estava despedido, as melhores jogadas em organização ofensiva que vi no Sporting foram com Keizer, vi golos que só vejo com Gardiola, Ten Hag, Luis Enrique ou Roger Schdmit.

    O Guardiola também não tinha currículo e deu no treinador que deu, o Keizer tem um perfil semelhante se forem ver, o Ten Hag quando entrou a meio da época passada, também não ganhou logo tudo, mas esta época está a bater recorde de golos no Ajax.

    O Sporting não tem plantel para mais que o 3º ou 4ºlugar, já ganhou uma Taça da Liga, portanto é positivo o trabalho de Keizer, para a próxima época serei exigente, se vierem jogadores a sério, esquecem-se que ficamos quase em 4º na última época com Williams, Battaglias e Gelsons.

Responder a Bruno Miguel Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*