Como Bruno Lage preparou o Benfica para explorar a profundidade na ausência de Seferovic

Com a ausência do ponta de lança suiço que foi um elemento bastante importante nos primeiros tempos de Bruno Lage ao serviço da equipa principal do Benfica, surgiram dúvidas sobre como o treinador encarnado colmataria a ausência de um jogador que dava sentido ao ataque do Benfica pela forma como se move em profundidade.

Porque os modelos devem ser construídos e pensados em função das características dos jogadores, e não o contrário, é determinante que tenham a capacidade de ser “variáveis”! Ou seja, não faria sentido encaixar Jonas e pedir-lhe as mesmas coisas que se pede a Seferovic. Poder-se-à falar de um não processo, ou de uma identidade que muda. No fundo apenas semântica pouco relevante. Foi apenas Bruno Lage de forma muito astuta a moldar rapidamente o contexto por forma a aproximar a sua equipa do sucesso.

Jonas, o homem mais adiantado do Benfica, ao contrário do que fazia Seferovic, passou a mostrar-se sempre a pedir a bola no pé. Fosse no corredor central ou no corredor lateral (Seferovic também se movia para fora, mas sempre a solicitar bola nas costas), e com os seus movimentos que o aproximavam por vezes de uma posição de número dez, abriu espaços e criou condições para as entradas de Rafa, João Felix, e até Pizzi.

Ora veja e perceba a dinâmica que Bruno Lage instituiu para continuar a ter uma equipa capaz de jogar não apenas entre linhas, mas também de explorar a profundidade:

Estamos de novo no Twitter


Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3524 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

7 Comentários

      • Great minds think alike:) fora de brincadeiras, não tinha visto o Tweet mas o paralelismo vem imediatamente à cabeça. Mas aproveitando a deixa. Vês mais Klopp em Lage ou Guardiola?

        • Vejo mais Guardiola.. mas com realidades (jogadores) totalmente diferentes… Continuo a dizer que a qualidade individual do Benfica não é muito elevada…

          • Para além do óbvio da diferença individual entre City e Benfica que vão sempre ter, que posições achas que claramente o nível de qualidade individual do Benfica é demasiado baixo para a sua dimensão e para este estilo de ideia?

          • Boa tarde saudações desportivas.

            A qualidade no Benfica não é muito elevada !!!! Será para a realidade europeia ao mais alto nível? Ou mesmo para o nível de equipas equiparáveis ao SLB (PCP, SCP, e demais equipas de um segundo nível europeu)?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*