As possibilidades e os perigos para a construção do FC Porto

Anteriormente, referi a importância que o momento de organização defensiva tem para o Liverpool. A forma como a equipa se posiciona nesse momento permite-lhe condicionar a construção adversária, ao mesmo tempo que monta uma armadilha que a aproxima da baliza, logo após a recuperação.

A distribuição da equipa apresenta também algumas debilidades. Mas nem sempre será fácil aproveitar essas lacunas. Ainda para mais, para uma equipa como a do FC Porto que não vive confortavelmente sob pressão. De qualquer forma, existem algumas possibilidades interessantes para combater este pressing montado por Klopp. Nem todas serão recomendáveis para o conjunto português.

O FC Porto vai encontrar um Liverpool que brilha sem bola. Na construção, a equipa portuguesa terá de evitar o erro. Sobretudo numa fase inicial, resistir ao corredor central, pode ser solução. Apesar de poder parecer convidativo, normalmente, entrar dentro do bloco adversário, logo numa fase inicial da construção, pode ser altamente perigoso.

A equipa inglesa coloca o seu bloco à altura ideal para poder contra-atacar de forma a chegar rápido a zonas de finalização. O posicionamento dos extremos, quase sempre altos, coloca-os perto da área, mesmo em momentos em que a equipa defende mais baixo. Salah e Mané revelam uma sensibilidade particular na forma como atacam os espaços entre central e lateral ou mesmo quando pedem em largura. Os médios – agressivos, fortes nos duelos e em antecipação – têm um papel chave na forma como roubam bolas após esta entrar no corredor central. Os laterais seguem o mesmo caminho e até nos momentos de transição revelam enorme importância.

Não é preciso baixar o bloco para contra- atacar. O Liverpool, apesar de o conseguir fazer das duas formas, prefere aliar o forte condicionamento da construção adversária, à capacidade para sair rápido e com muitos. A baliza está sempre próxima, assim como o golo, mesmo quando o adversário tem a bola.

Bruno Fidalgo
Sobre Bruno Fidalgo 75 artigos
Licenciado em Ciências do Desporto. Criador e autor do blog Código Futebolístico. À função de treinador tem aliado alguns trabalhos como observador.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*