A marca de Lage – Como marcou tanto em Organização Ofensiva?

A Organização Ofensiva do Benfica de Bruno Lage, que tantos golos somou.

  • A preocupação com a perda
  • A vantagem numérica (6×4)
  • As rupturas pós entradas interiores
  • A equipa das recepções para o lado oposto
  • A largura máxima dos laterais

LIGAR O SOM

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3704 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

8 Comentários

  1. Excelente análise! Onde foi o Lage buscar este modelo? Joga mais gente assim na Europa? Dá para jogar assim na Champions?

  2. Maldini, depois de ter um dos melhores do mundo em organização defensiva (JJ) o Benfica mesmo com Lage apresentou algumas debilidades neste momento, em tua opinião deve-se mais à qualidade individual dos jogadores ou Lage precisa de melhorar este momento?
    Abraço

  3. Seria muito interessante um vídeo “destes” sobre os momentos defensivos (organização e transição ataque-defesa).

  4. Excelente análise, mais uma.
    Tenho algumas dúvidas que este modelo resulte para chegar longe na Champions, que é a principal coisa que me move como adepto, mas só vendo.
    Dá-me a ideia que para este modelo resultar, tanto os laterais como os médios têm de ser rápidos e fortes a recuperar defensivamente, porque se não for assim, uma equipa que seja forte no contra-ataque, com jogadores rápidos e que consiga meter rapidamente 4, 5 homens na frente, vai causar muitos danos.
    Laterais como o Nélson Semedo, que ganham vários metros ao extremo em pouco tempo davam muito jeito.
    Quanto aos médios, o Rafa tem essa velocidade, vamos ver se tem a vontade/concentração necessária. Já o Pizzi… não me parece. Também não me admirava que nos jogos europeus jogasse o Gedson, embora percamos qualidade no ultimo terço e na construção, mas ainda é um miúdo e nestas idades evoluem rapidamente.
    O Félix – nem quero pensar que não fica – também vai ter que dar o corpo ao manifesto, o que nos últimos jogos até tem acontecido, principalmente no jogo com o Portimonense, para surpresa minha, não pela sua personalidade mas porque ainda é muito jovem.
    Se eu fosse o LFV contratava um bom guarda-redes, um LD desse género (embora ainda se tenha que ver se o Ebuehi é esse jogador), um LE, investia 30 ou 40M num PL e contratava um central para o lugar do Jardel. Vendia o Salvio, o Zivkovic e o Cervi. O Jota, que é um craque de primeiríssima, ocupava o lugar do Sálvio. Subia o David Tavares e o Willock, embora não tenha acompanhado muito estes dois.
    Posso estar enganado mas gosto do Conti. Para mim não faz muito sentido manter o Jardel pelo seguinte: 1- Demora uma eternidade a entrar em forma. Enterrou-nos varias vezes nas primeiras voltas e fases de grupos da Champions. 2- Não faz qualquer sentido ter dois centrais que não sabem sair a jogar e o Ruben Dias é para manter. Se o Ferro se lesiona voltamos ao mesmo.
    Gosto muito do Ferro. Sai a jogar muito bem e tem uma qualidade de passe longo como se vê pouco, mas parece-me que ainda tem algumas limitações. É um bocado lento, embora ainda possa ganhar velocidade e massa muscular porque ainda é jovem. Muitas vezes deixa o avançado recuar sozinho e não o acompanha, deixando-o receber à vontade, com as implicações decorrentes. Quando o acompanha, não recupera com ele e é facilmente batido. Anda muitas vezes ali no limbo.
    Ainda mantinha o Jonas, o Taraabt e o Fejsa por mais um ano.
    Só vi o Caio Lucas no youtube e não tenho grande opinião. Talento terá mas tenho um pressentimento que é um brinca na areia e que não vai ter sucesso pr cá.

    • O plantel seria mais ou menos algo do género:
      PL, Seferovic, Jonas – Félix, Taraabt – Rafa, Jota, Willock – Pizzi, Gedson – Gabriel, David Tavares – Samaris, Florentino, Fejsa – DD, Almeida – Ruben, Conti – Central, Ferro – Grimaldo, DE – GR, Vlachodimos, Zoblin
      Ainda há o Chiquinho e o Krovinovic. O Jota joga na esquerda e na direita, o David a 8, na esq. ou na direita. O Gedson e o Samaris fazem 2 posições… No total são 28, 9 da formação.
      É um plantel longo mas a rotatividade será fundamental. Haverá sempre lesões. Nas taças devem jogar as segundas linhas para terem minutos- dava jeito que pusessem os jogos das taças à quarta e deixassem de reservar fins de semana para uma prova sem grande importancia. Antes e depois dos jogos da Champions também deviam rodar a equipa quando conveniente. 4 jogadores no jogo antes e 4 no a seguir. Se assim for, a maioria terá bastantes minutos jogados no fim da época.
      Bem sei que estou a pedir demais, que seria um grande investimento e que as prioridades são aumentar os ordenados dos talentos que cá estão para os segurar, investir no Seixal e em infra-estruturas como o colégio e o hotel, alem de cumprir a promessa de baixar o passivo para os 300M neste mandato, mas um joão Félix não aparece todos os dias nem fica cá muito tempo. São este tipo de jogadores que nos possibilitarão competir com os melhores. Alem disso o retorno seria mais ou menos imediato. Depois do Europeu podiam vender o Félix, Grimaldo, Rafa e Ruben e fazerem 250M, com mais algum para ajudar a chegar a essa quantia, sem perderem qualidade na equipa. O Jota é melhor que o Rafa. O Ruben e o Grimaldo são facilmente substituiveis. A perda do Félix é que é mais complicada mas seria compensada com a maior experiencia e consistencia dos que ficam.

    • Sinceramente, raramente leio tanta parvoíce por metro quadrado. Não dá para desligar o FM e o estupidómetro?

  5. Listen to the fools reproach! it is a kingly title!
    Se descobrires de quem é, compro-te um gelado… e meto-to na boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*