Atrás se começa a ganhar – Ferro

No texto de análise ao FC Porto salientei como maior dificuldade ao longo de toda a partida em Barcelos a incapacidade azul para ligar o jogo da construção até zonas de criação, referindo o facto de quer Marcano quer Pepe nunca terem conduzido e servido de forma “redonda” o tal espaço entre sectores adversários.

Em Lisboa mora uma equipa que tem um central verdadeiramente diferenciado no que concerne ao alimentar das zonas onde se pode criar e chegar posteriormente à zona de finalização.

Perceba a importância de Ferro no jogo ofensivo do Benfica:


MAIS CONTEÚDOS EXCLUSIVOS  na página de patronos deste projecto. Recordamos que 1 dollar mês será desde logo uma grande ajuda, e suficiente para poder ver tudo o que é por nós produzido

Uma questão de distâncias – De Porto a Barcelos (aqui)
Atropelo à velocidade de Rafa – O lado Táctico da Supertaça (aqui)
Adel Taarabt – Nunca apenas porque sim (aqui)
Um Real problema (aqui
Matriz Táctica do Wolves de Nuno Espírito Santo (aqui

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3618 artigos
Pedro Bouças - Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

3 Comentários

  1. Ferro é incrível, muito provavelmente será a próxima grande venda do Benfica, infelizmente. Central moderno, joga limpo e tem passes deliciosos para as costas dos médios adversários.
    É um dos grandes responsáveis pelo alimentar dos criativos Rafa, Pizzi e Grimaldo e nota-se mais a sua importância quando não há Gabriel já que Samaris e Florentino não o fazem.
    É um Taarabt recuado, descobre linhas onde os outros não as vêem ahah

  2. Ontem o próprio Rúben Dias seguiu várias vezes com a bola, iniciando a construção de jogo. Não tem a mesma qualidade de passe mas esta cada vez melhor neste capitulo.

  3. Excelente exemplificação da qualidade deste central, parece fácil ao ver mas quem joga sabe que são de execução muito dificil. Basta saírem um bocado desviados ou com intensidade incorrecta que pode até gerar uma rápida transição adversária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*