A caminho do Euro

Notas soltas e rápidas à vitória portuguesa que foi um passe gigante para o apuramento directo.

  • Postura conservadora de Fernando Santos – João Felix fora da equipa terá sido uma opção táctica (diferente de técnica) para que Portugal juntasse mais um médio, garantiu o equilíbrio que idealizou para a partir daí ir à procura de ganhar;
4x1x4x1 – Defendendo com apenas um avançado, menos espaço para João Felix entrar na equipa
  • Mesmo em Ataque Organizado, percebeu-se sempre uma preocupação desmedida com o momento seguinte (o da perda) – Foi um Portugal mais preocupado em não sofrer do que propriamente em marcar mesmo com bola.
Sempre muito equilíbrio defensivo mesmo em posse – Equipa junta e com poucos à frente da linha da bola logo que esta entrava em zona intermédia
  • Jogo que se tornou muito tranquilo tendo em conta a importância e dificuldade que poderia ter – Sem se expor defensivamente, a Sérvia apenas criou esporádicamente em situações pelo corredor direito, maioritariamente resolvidas por José Fonte;
  • Das poucas vezes que Sérvia quebrou linhas nacionais e enfrentou linha defensiva portuguesa, também esta respondeu sempre com qualidade, quer nos posicionamentos quer na resolução dos duelos ;
Pressão no meio campo ofensivo com divisão do espaço no lado oposto e HxH no corredor da bola – No meio campo defensivo, postura de controlo
  • Grande jogo no fecho do espaço interior por parte de Danilo – Controlou a toda a largura a entrada da bola entre médios e defesas, e muitos dos seus movimentos foram o tónico para que o passe para zona de criação não saísse;
  • Bernardo Silva ao nível habitual – A qualidade com que define torna-o sempre o melhor ou dos melhores em campo. Não tem erro, e ainda cria – Mesmo sem notoriedade, e esta foi elevada porque assistiu e marcou, já era dos melhores em campo;
  • Há demasiado talento à espera de um jogo de maior risco e maior espectacularidade, porém, a proposta conservadora de Fernando Santos continua a aproximar Portugal de ganhar – Com a qualidade individual que tem os golos aparecem, e fechados caminhos para a sua baliza…
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3659 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

7 Comentários

    • Estava mesmo a pensar nisso, acho que não foi dado o ênfase necessário. A exibição do Bernardo foi surreal! A pressionar, a atacar, a defender, a contemporizar, a criar, etc. E super decisivo no resultado
      Correu kms, teve gestos técnicos de gênio. Não foi dos melhores mas sim o melhor em campo!
      Quando encaixarem ele, o Félix e o Bruno num esquema que os potencie, uiui….

  1. Não haverá espaço para ele entrar para uma das alas ocupando esse espaço quando a equipa não tem a bola e atacando as zonas de finalização quando tem? Tenho ideia que isso aconteceu já em alguns jogos do atlético.

  2. E ainda falta Ferro.

    Muita qualidade na geração que assume agora e ainda mais que vai chegar. Ainda ontem, Lage já meteu o Paulo Bernardo.

    • Eu cá acho que deveria sair um edital nacional a proibir jogadores extra-Benfica de jogar na seleção. Assim até cepos como o Nuno Tavares já seriam titulares de caras.

    • Pedro B., convém termos presente que quando as coisas estavam mal, não existiam trolhos. Agora que estão melhor, eles tem que aparecer para confundir. Logo, teres tido a atenção de um é semelhante a receberes uma medalha. Pelo menos tem alguns conhecimentos, até usa o nome dum psicopata do cinema.

  3. “Há demasiado talento à espera de um jogo de maior risco e maior espectacularidade, porém, a proposta conservadora de Fernando Santos continua a aproximar Portugal de ganhar – Com a qualidade individual que tem os golos aparecem, e fechados caminhos para a sua baliza…”

    Certo! E grato estou pelo título europeu e da nova competição…
    Mas não há formas não muito arriscadas nem mesmo espetaculares de retirar mais do talento disponível?
    Eu acho que há.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*