Um Benfica sem soluções

Benfica Europeu é apenas uma miragem, e na antevisão ao grupo feita pelo Maldini (aqui) já havia sido referido que para poder entrar nas contas do apuramento, o Benfica necessitaria de alterações quer à forma de jogar, quer às opções técnicas.


Também a presença ou não de Seferovic na equipa poderá trazer um Benfica diferente. Numa competição onde se paga muito caro a eficácia, será importante que Raul de Tomas assuma um papel de menor serviço e maior finalização. 


Há potencial individual e principalmente colectivo para enfrentar o grupo com a expetativa de o superar, mas decisões importantes terão de ser tomadas – Quer nas escolhas inicias quer no equilíbrio defensivo da equipa quer nos momentos de transição defensiva, quer sobretudo na opção pelo pressing, que é sempre mais facilmente contornável quanto melhor forem os adversários.

Naturalmente que nada é garantido quanto à eficácia de possíveis trocas – Nada garantia que fosse um melhor Benfica. A questão de fundo é perceber-se que aquele Benfica que joga por Portugal muito dificilmente poderia aspirar a triunfar num grupo competitivo.

O que se seguirá na temporada muito provavelmente exigirá mudanças a Bruno Lage. O nível do onze inicial do Benfica é baixo – Pizzi é o caso mais visível: Um jogador que porque surge em vários momentos com notoriedade – Golo e Assistência, é tido como um dos melhores da equipa, mas que já desde o jogo da Supertaça vem somando um número de perdas (segundo indicador mais importante do jogo, logo a seguir ao de golos) inacreditável para quem quer jogar no Benfica, bem como uma percentagem de passe baíxissima – Em cima da inépcia nos momentos defensivos! Regra geral, só mesmo muito golo poderá compensar tal “emperramento” da fluidez de jogo e ausência do processo defensivo.

Mas também Seferovic é sempre um elemento com imensa dificuldade para acrescentar ofensivamente. Não consegue devolver uma bola em boas condições, e isso é tão grave e limitativo do processo ofensivo quanto a sua incapacidade em zonas de finalização. E ainda nem se chegou à inexistência (depois da lesão de Chiquinho) de alguém que possa ser eficiente e eficaz no espaço central, entre linhas, na posição de segundo avançado…

Os encarnados não têm nível individual para a prova milionária (onde até vários dos jogadores que se apresentam bem na Liga NOS cedem – Grimaldo, à cabeça), mas têm alguns jogadores com mais potencial de fora do que alguns dos que vêm sendo chamados a jogo – E mesmo para um possível sucesso dentro de portas, parece que será necessário tomar algumas decisões diferentes e difíceis! sobretudo entre os jogadores mais avançados. Embora de momento o cenário não pareça nada animador, quando do banco a primeira opção para a ala é um ineficaz Caio, há dois caminhos a tomar, e um deles Bruno Lage já seguiu um deles na temporada passada, logo que pegou na equipa:

a) Manter tudo tal como está e acreditar que é apenas uma má fase de uma série de jogadores (que verdadeiramente só tiveram uma / duas épocas de nível alto nas suas carreiras)
b) Inovar, procurando retirar rendimento de novos elementos, deixando cair quem não está a render

Embora o problema deste Benfica seja bastante mais de natureza individual, e não causado pelo seu treinador, este não tem tempo para lamentos e terá de ser sempre solução. Depois da “noite de núpcias” entre treinador e plantel, surge o momento para o primeiro “rompimento”.

18 Comentários

  1. é certo que o nível é baixo, mas entrar com fejsa e jardel é pedir para perder.

    e eu não tenho dúvidas que a opção que o lage vai usar é a primeira, nunca na vida vai arriscar perder o campeonato metendo as cabras no banco.

  2. Eu concordo com o comentário, dos jogadores que estão disponíveis ele já tentou tudo diferente, deu a alguns mais condições para ter sucesso do que outros mas tentou tudo.
    Mas chegou a um ponto que terá que fazer opções, eu também acho que o seferovic corre para traz e muitas vezes defende no espaço que os extremos não defendem, contudo não recebe uma bola, não sabe fazer um passe e quando tem oportunidade de finalização pouco ou nada mostra.

    Penso que o Pizzi terá que ou mudar de posição ou passar uns jogos no banco, mas não sei qual a alternativa no plantel, passar o rafa para a direita e meter o jota na esquerda? Jogadores com mais verticalidade e capacidade de esticar mais um pouco o jogo em velocidade?
    Gabriel e tarabt os dois no meio funcionam? Com FLorentino nas costas e um PL ? Penso que RDT será aquele que tem mais atributos para jogar como PL fixo mas a bola tem que lhe chegar, coisa que agora não acontece.

    Não seria interessante recuperar o Zikovic para médio direito? Alguém que apesar de ter problemas de atitude competitiva, sabe decidir, cruzar, decidir com critério?

  3. Vieira (estrutura para o futebol) arranjaram um belo desafio ao Lage com a construção deste plantel francamente parco em algumas posições.

    Para o modelo do Lage era fundamental ter entrado, em relação à época transacta um PL (entraram 2, Raul é bom, Vinícius interessante pelo perfil diferenciado que tem), um GR (Vlachodimos é demasiado mau com o pés e controlo da profundidade para jogar numa equipa grande), 1 segundo avançado (face às saídas de jonas e félix) e seria importante renovar as alas, onde a segunda linha do Benfica não parece ter qualidade suficiente (Jota parece ainda pouco preparado, Caio e Cervi é curto e Zivko parece não contar).

    Ora, destas áreas do plantel a melhorar apenas foram feitas contratações convincentes para PL, o que trás 2 problemas ao Lage:
    1) dificuldade em atingir o nível do ano passado no modelo atual (falta o 2º avançado, criativo, com golo e que ofereça variabilidade de soluções e rendimento em diferentes contextos – profundidade, apoio, largura, 1×1, espaços curtos ou largos)
    2) Poucas soluções (principalmente para os flancos) para alterar sistema – ocorre-me desde logo um 433 mas se Zivko não conta e as restantes soluções são curtas.

    Melhor 11 do Benfica com o plantel à disposição:
    GR: Vlachodimos (Zlobin)
    DD: TTavares (Almeida)
    DCD: Dias (Conti? / Pedro Alvaro?)
    DCE: Ferro (Jardel)
    DE: Grimaldo (NTavares)
    MDC: Tino (Fesja ou Samaris)
    MCD: Taraabt (Chiquinho ou Gedson)
    MCE: Gabriel (DTavares)
    AD: Zivkovic? (Pizzi ou Jota)
    AE: Rafa (Caio ou Cervi)
    PL: Raul (Seferovic ou Vinicius)

    A meu ver, urge recuperar zivkovic (talvez o Taraabt lhe possa dar umas dicas pois parece-me que o ponto será o comportamento do jogador e não ceertamente o talento).

    Os processos e as dinâmicas ofensivas não têm de ser muito diferentes do que Lage idealiza, os intervenientes sim.

    Os processos defensivos NÃO PODEM ser iguais na Champions. Ali os alas têm que ter outro compromisso (ou instruções).

    Estou curioso pelas próximas opções do Lage.

  4. Eu entendo que o benfica, ao assimilar uma nova ideia para esta epoca têm vindo a cair de confiança (no grupo) e rendimento (individual), onde a “agulha” virou após o jogo com o porto.. Atualmente são inumeros reparos à equipa!! Desde as escolhas individuais; a forma de sair e de jogar; a exposição individual de cada jogador; etc… Pequenos exemplos: – Ontem viamos numa altura do jogo, junto a linha lateral 4 jogadores do benfica em cerca de 5m2… Se um deles têm a bola, como fará a equipa jogar, circular e progredir? Basta a intervenção de um adversario ao recuperar a bola e ficam para tras 4 jogadores, mais aqueles 2 que pensaram que iam receber a bola, mesmo que marcados por 4/5 adversarios!.. .. Refiro isto, pois creio que começa aqui o problema de confiança e exposição(segurar bola) individualmente… Esta desconfiança global leva a equipa a descer e ficar com bastante espaço entre sectores e no ataque a equipa deixa de avançar/progredir com bola colectivamente, de forma sincronizada. Inevitavelmente leva à perda de bola e lance de perigo adversario…… Neste modelo 4/4/2 são pedras basilares as posições 6(tão bem descritas no item em italia), o 8 que coma linhas em velocidade e com controlo de bola muito bom; Um extremo que assuma o drible individual, onde vá à linha de fundo e cruze; um médio interior fisicamente forte que faça os equilibrios defensivos e ofensivos, com tecnica que permita ser volante; e um avançado que segure a bola de costas para a baliza, com drible e velocidade. Além de um matador, para que em várias alturas do jogo, conforme a zona onde o adversario têm as linhas defensivas, o benfica possa alternar o individual com o colectivo e as zonas interiores com exteriores… O benfica atualmente não tem isto, e como tal, várias nuances do jogo ficaram perdidas, sendo apenas explorado o jogo interior e transições rápidas (contra-ataques) onde o rafa pega na bola na sua grande area e é obrigado a correr 90 metros, sistematicamente!!! Nestes ultimos jogos, a posição 6 (ontem foi evidente) não existe, excepto a defender (bem, no sinal)… o interior não têm fisico para equilibrar (porém tem conseguido desiquilibrar internamente), o matador não existe e os dois avançados foram vendidos o ano passado… Existem muitos jogadores (que não os jovens da casa) que pela idade e qualidade tinham de ser basilares, indiscutiveis, para dar confiança e segurança aos inumeros jovens de qualidade lançados… Tal não acontece. Foram contratados jogadores sem qualidade indiscutivel de acrescentar e serem apenas quantidade!

  5. Uma questão tem-me vindo a “incomodar” a reflexão, já desde o ano passado, em que Lage dizia que “não deixava cair” ninguém que lhes tinha dado tanto. Não conheço o treinador pessoalmente, mas arrisco dizer que é um “romântico” do futebol, acima de tudo. Isto tem o benefício de perceber que o futebol só vale a pena jogar-se se os adeptos andarem contentes (mais do que ganhar ou perder) com a produção da equipa, mas a desvantagem de lhe toldar a capacidade de decisão quando é preciso deixar certos jogadores de lado, por muito que custe, não achas?

    Achas que ele será capaz de tomar a decisão do rompimento com alguns dos jogadores, ou irá continuar a insistir porque, lá está, no final o “bem triunfará”, e isto dá a volta com as mesmas pessoas?

    Por outro lado, ele diz que todos contam, mas na verdade o Samaris voltou a desaparecer (até da convocatória), por troca com um Fejsa que deveria ter saído no Verão, porque claramente não tem ritmo nem capacidade para este tipo de jogo do Benfica só com dois médios centrais, e o Zivkovic, coitado, nem se sabe por onde anda, e aposta-se neste Caio, que, Deus do Céu, acho que nem na minha equipa da peladinha eu o queria, decide tão mal… e mesmo o Vinicius, que me parece bem jogador, ontem tinha acabado de entrar e nem corria para pressionar (lá está, a grande vantagem do Sef, que corre e desdobra-se a defender, embora esta nunca possa ser uma vantagem que lhe dê a titularidade como avançado)…

    Enfim, concordo contigo: chegou a altura de mudar, e acabou-se a lua de mel: agora vem o casamento a sério

  6. Excelente post, concordo linha por linha, acrescento só o seguinte. O Lage tem agora oportunidade de provar que tipo de treinador é , se é um como os demais ( deixa andar é uma má fase ) ou se é realmente um game changer ( inova e reage às situações e momentos ).

    • É um grande desafio.. O correto será mudar e adapar o modelo aos jogadores que têm, permitindo-lhe sempre ter várias dinamicas no modelo de jogo, a alternar dentro dos 90 minutos, em função do desempenho adversário.. Mas para isto é preciso qualidade.. Reconheço qualidade aos jovens do benfica, mas estão em crescimento e sujeitos a erros. Daí ser indespensavel jogadores de top em algumas posições. Veja-se o exemplo do M.city de guardiola no 1º ano! Veja-se o atual barça!! É neste sentido que reforço o erro crasso efetuado pelo departamento de futebol/presidente, em não reforçar com qualidade o plantel, em 2/3 lugares chave. Investiu muito € em qualidade mediana. Já li em vários post’s o que acho. Será que 20€ de euros não pagava em 1 ou 2anos, os salarios mensais a 4 craques de top?! Lembro que o luisão (para mim) estabilizou com o garay (para mim, o melhor DC que passou no benfica nos ultimos 20anos). A partir daqui podemos especular muitas outras coisas.. Veja-se o salto qualitativo e a dimensão que deram, o trio Aimar/Saviola/Di maria?!? Em cada época que jogaram sozinhos, cada um não sobressaiu (aimar/quique) ou o (saviola/jesus). Mas quando juntos, colocou o benfica noutro patamar..

  7. Assim de repente não consigo entender a insistência em Seferovic.
    Marca um golito de vez em quando?
    Pudera
    Já no ano passado e numa companhia que nunca mais voltará a ter na sua carreira, ficou a dever pelo menos ta tos golos como os que fez.
    É muito, muito fraco, a única coisa que fez para jogar no Benfica foi ficar a custo zero.
    Depois a falta de dinâmica cava uma diferença para a época passada com Lage abismal, erros infantis e uma equipa que parece ter acabado de se juntar, sem fio de jogo e sem capacidade paraigar mais do que dois passes seguidos.
    MAU DEMAIS

  8. Eu concordo com algumas coisas e discordo de outras.

    Desde logo temos de reconhecer que o nível do plantel é baixo quando comparado com outras equipas da LC, mesmo em relação aos Zenits e outros deste gabarito. No entanto, nos dois jogos realizados também foi evidente que o modelo de jogo do Benfica é demasiado fraco para aquilo que se pretende, o que me faz gargalhar com o último parágrafo. O Benfica tem plantel para ser muito mais competente em todas as fases do jogo.

    Então a culpa é dos jogadores (e de quem faz o plantel) e não do treinador, a sério? Então mas não eram estes atletas – mais o Jonas e o Félix, que fazem muita diferença, certamente! – que estavam a fazer do Lage treinador? Então mas o que mudou nos últimos cinco ou seis meses? A realidade diz-nos que quanto mais tempo passa e quanto mais tempo se treina pior a equipa reage colectivamente.

    Neste momento o Benfica é uma equipa que pressiona de forma horrível, por exemplo, basta uma bola por cima para saltar a pressão e deixar a equipa partida em dois blocos com um tremendo espaço entre eles. Qualquer adversário já percebeu onde estão as referências para construir e até agora não há qualquer mudança da parte de quem dirige a equipa. Em organização ofensiva o Benfica está a tornar-se uma equipa quase inofensiva. Há uma paranóia qualquer que pretende sempre que a jogada se decida no corredor central, seja qual for a situação e o contexto. Mesmo que entenda a lógica que nos trás até esta ideia não é possível que uma equipa de alto nível tenha apenas uma única solução para chegar à área. Onde estão os atletas à procura da profundidade (nem que seja para criar dúvidas no adversário e abrir espaços), os overlaps, o movimento à volta do portador da bola? O Benfica apresenta muito pouco pormenor no seu modelo ofensivo, o que também é mau, e coloca esta equipa nas barbas do R. Vitória.

    Quando este jogo não entra – que por agora é quase sempre, seja qual for o adversário – a equipa rapidamente muda para a solução do cruzamento seja qual for a situação em que se encontra (ontem isto foi evidente e chegou a ser patético de tão ineficaz).

    Para além do Pizzi, que deve sair imediatamente do onze depois daquilo que fez ontem em campo, que foi abaixo de zero, também atletas como Rafa e Gabriel estão claramente sobrevalorizados. Não estou a dizer que devem ser dispensados ou encostados porque têm alguma valia mas não podem ter a preponderância que lhes é dada e devem ser apenas jogadores de equipa. Julgo que o Gabriel pode ser um bom 6 mas o Tino é muito mais eficiente e está a fazer uma falta incrível.

    Quanto à formação do plantel julgo que o clube tem de mudar alguns pormenores no perfil de jogador que procura. Não é admissível que atletas como Caio Lucas tenham espaço tendo em conta a situação económica folgada da instituição (a não ser que seja mentira). Até o Jota é muito melhor do que ele, mesmo não tendo mostrado nada por aí além até agora, porque não entrou ontem? Estamos na base da fezada? Eu sei que o Krovi teve muitas dificuldades e não apreciei o que vi dele na época passada. Mas um clube que se apressa a dispensá-lo para substitui-lo pelo brasileiro só pode estar equivocado. O que se passa com o Dantas? Não tem lugar neste plantel? Só pode ser para rir!

    Mesmo sabendo da enorme concorrência internacional, julgo que o Benfica deve focar o scouting em jogadores de enorme e evidente mais-valia cognitiva e técnica, sejam eles jovens ou não. O rendimento do Jonas foi muito alto, portanto está pago e com poupança. E complementar esta gente com a formação, onde tem sido realizado um trabalho fantástico. Recuar nesta aposta parece-me um erro crasso.

  9. Esta época o Benfica tem tido alguns azares ao nível de lesões que não tem permitido assentar o melhor futebol (Florentino, Almeida, Chiquinho, Vinicius, Gabriel…), e tem sido difícil fazer o melhor 11 sucessivamente. O plantel tem soluções diferenciadas (Ebuehi, Jota, Dantas podem oferecer mais qualidade técnica onde outros peçam). Sinceramente acho que Pizzi tem que sair de vez do onze e Rafa tem que ser o segundo avançado: é incrível a quantidade de vezes que perde duelos na linha e de passes falhados). Cervi pode ser a melhor escolha para a esquerda pelos níveis de agressividade. A equipa teve melhores comportamentos colectivos no passado, e o jogo de ontem deixou muitas dúvidas acerca da competência emocional de Lage os ligar ao jogo. O terceiro golo é atroz.

  10. Não vejo mudanças no que se tem visto infelizmente e se há de facto questões sobre algumas opções o certo é q por vezes para uma ideia de jogo é preciso jogadores q a saibam interpretar e n havendo esses jogadores então o treinador tem de mudar. O ponto fulcral disto tudo é Felix e não é pq ele saiu por 120 Milhões ou ser considerado uma estrela mas a forma como ele torna o futebol simples. É um jogador muito acima da média técnicamente mas q sabe q isso n ganha jogos. Não é a prender a bola e fazer 2 fintas bonitas q se marcam golos, não é a correr q nem um doido q se é bom jogador, nem é a esperar q os outros jogadores joguem de maneira igual. Para mim a nivel de plantel foi um erro n ir buscar um jogador q saiba jogar naquele espaço e marque golos, fosse aquele alemão ou outro. Nenhum outro avançado do plantel sabe ocupar aquele espaço eficientemente. Depois podemos criticar o pq de Fejsa jogar qdo Samaris já deu tanto. é certo q Samaris fez péssimos jogos no inicio mas já outros o fizeram e continuam a jogar. Depois Pizzi q começa sempre a todo o gás e depois estoira. Lá para depois do Natal volta um bocadinho melhor. Está na altura de ir para o banco. E aquele brasileiro das arábias n é melhor q Cervi q pode ser muita coisa mas é esforçado.

  11. O que mais me deixa preocupado é o Benfica “apenas” ter perdido o João Félix, e agora com os mesmos 10 não conseguir chegar à qualidade da época passada.

    Não me refiro tanto à champions, mas mesmo no campeonato não está a jogar nadinha. O Pizzi, já todos sabemos como é, começa sempre a época com grandes estatísticas, e depois arruma as botas e não volta a jogar decente nunca mais. O Samaris, como já alguns disseram, nunca mais calçou este ano, até o Fejsa o passou à frente (entre os 2, para este modelo, venha o diabo e escolha, mas se com o Fejsa não dá, na época passada o Samaris aguentou).

    Será que foi apenas pelo Florentino e pelo Félix que o Lage ganhou o campeonato e o benfica jogou o que jogou?

    Desde a supertaça, e após o jgogo contra o porto que nunca mais foram a mesma equipa. Será que a derrota abalou tanto a confiança dos jogadores?

    De facto a lesão do Chiquinho não veio nada a calhar, mas seria apenas ele suficiente para estarmos nós a jogar muito mais?

    Onde andam Samaris, Zivkovic, JOTA? O cervi defende melhor que ataca, mas aposta recorente no Caio? A sério? No Caio? Com a entrega do Cervi, como é que o Caio o passa à frente? À frente de todos! É um mistério.

    Por ontem, valeu o golo do RDT, que espero que mostre agora tudo o que vale. Gostava de ver mais vezes RDT e Vinicus.

  12. Infelizmente o jogo de ontem lembrou me o jogo com portimonense no tempo do Rui Vitória.
    Parecia que os jogadores nao estavam em campo.
    Espero que o bruno laje, tenha força mental para levar o Benfica a ganhar tudo aquilo que o Benfica merece.

  13. Concordo em parte.
    Mas o que mais me importa salientar é o que já salientei noutras ocasiões:

    Qual é a gestão da largura e profundidade do Benfica?
    Quais são os “thresholds” que levam a equipa a encurtar espaços, subir ou descer bloco, procurar não dar qualquer espaço no meio ao adversário e ter micro-estruturas de pressão na reação à perda, etc, etc e onde estão as evidências de que isso é pedido e treinado?
    Aparentemente a equipa joga estendida e larga e quando perde a bola quase que dá tanto espaço entre linhas como aquele quer procura ter quando tem bola e que na verdade não aproveita.
    Tudo francamente muito previsível e enfadonho, sem dinâmica e sem criar roturas. Fácil de anular.

    O Zenit teve vários momento no jogo em que repentinamente encurtou espaços, subiu o bloco e criou várias roturas colocando jogadores com bola em zonas de ultimo passe ou de finalização.
    O Benfica quanto muito fez algo mais próximo disso nos últimos minutos à pressa e atabalhoadamente, como quem vai tentar remediar à última hora, já com o Zenit mais recuado à espera do fim com vantagem de 2 golos.

    Acho que o Lage está meio perdido, com falta de ideias e emanar insegurança…
    Disse ontem que quer trazer o Benfica do Campeonato para a dimensão Champions.
    Para mim é uma visão errada. No campeonato a maioria dos jogos são conta equipas que defendem e na Champions não.
    O Benfica quase sempre estendido e largo em campo, completamente previsível sem criar roturas e com manifestas dificuldades nos três sub-momentos da transição defensiva, não ganha a equipa de valência semelhante ou superior. Assim, só ganha a equipas inferiores e mesmo assim, as exibições no campeonato têm sido péssimas e cede sempre várias oportunidades ao adversário.
    Fará sentido trazer o Benfica da campeontao para a Champions? Parece-me que isso é o que já está a acontecer…
    O Benfica teve até agora três jogos com equipas de nível semelhante ou superior, o Porto o Leipzig e o Zenit. Perdeu os três jogos e de forma clara.

    Modelo adaptativo. Não basta colocar o Taarabt entre segundo avançado e terceiro médio se mantêm as restantes lógicas como se estivesse a jogar em Pt.
    Se o Lage quer evoluir e fazer evoluir o Benfica tem que ter um modelo adaptativo, verdadeiramente, e definir thresholds e consequências indexadas aos mesmos para a equipa, apertar, juntar, afastar, subir, descer, especialmente contra equipas com argumentos.

    • PS: Peço desculpa pela quantidade de erros, mas penso que se percebe a ideia. Optei por escrever à pressa sem possibilidade de rever do que não comentar.

  14. Este Lage e’ um estagiário que não percebe nada de futebol a se’rio.
    Ontem começamos com menos 2. O Esferovite não acertou uma unica e o Pizzi alem de se esconder do jogo e jogar maioritariamente para tras, acertou uma ou duas e falhou 10 ou 20. Continuar a jogar com eles, principalmente o Esferovite que apresenta rendimento 0, e’ andar a gozar com a nossa cara. O Pizzi que jogue no campeonato.
    Depois nao sabe organizar a equipa defensivamente. Talvez por ter treinado sempre camadas jovens de clubes grandes, não sei. A tanga da pressão alta so funciona se depois houver uma recuperação eficiente quando ela e’ ultrapassada, sendo assim vale menos que 0.
    Insistir em jogar com dois 9s e’ outra das coisas que não lembra ao diabo. Deve pensar que esta nos anos 50 ou qualquer coisa que o valha.
    Nao mete os jogadores certos, nas posições certas, não tem um modelo certo – a cena dos dois laterais avançados na Champions ja se previa que ia dar barraca, enfim!
    Ja sao erros a mais para alguém que perceba minimamente da poda. A confusão geral do discurso so vem mostrar que anda perdidinho de todo. Agora ate nos ensina o que e’ ser benquistas e nos manda votar nas vesperas de um jogo importantíssimo da Champions. Passa a vida a dizer lugares-comuns como a da maxima exigência, enfim! Ja vais ver para onde te vai levar. Da vontade de dizer: o’ Lage, seu provinciano, vai pentear macacos para longe do nosso Benfica..O Vieira ontem ja te deu o primeiro aviso, ao segundo vais filosofar para Setubal.
    PS: O Taarabt tem de deixar de confundir jogar futebol de rua com estar a jogar la na rua.

  15. Eu acho que há jogadores que estão demasiado conformados e não se sentem ameaçados no onze. Tal como há jogadores que deviam estar dispensados e acabam por continuar de “fininho” e depois entram na equipa como se fossem soluções. Fejsa e Cervi são dos um desses exemplos. Depois há jogadores que continuam a não ter rendimento mas continuam a titulares: caso do Seferovic e Grimaldo. Falta muita qualidade a este Benfica. No plano nacional não se nota mas depois vemos como é na Champions,

  16. PS: Peço desculpa pela quantidade de erros, mas penso que se percebe a ideia. Optei por escrever à pressa sem possibilidade de rever do que não comentar.

Responder a Isabel Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*