Palmeiras de Mano Menezes

Sao Paulo (SP), 02/11/2019 - PALMEIRAS-CEARA - xxxxx durante partida entre Palmeiras x Ceara pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro (Foto: Mauricio Rummens/Photo Premium/Gazeta Press)

Ponto Prévio: Porque sei que muita gente nova está a chegar ao “Lateralesquerdo.com”, é importante referir que todos os conceitos tidos no presente texto como CERTOS ou ERRADOS, já o vêm sendo mencionados por cá há uma década! E não o são hoje porque uma equipa joga assim e outra joga diferente. E portanto não cedam na tentação fácil de crer que há aqui uma crítica a uns ou elogios a outros por quem são, e não pela forma de jogar das suas equipas. Explorar o site para trás, permitirá perceber o que aqui afirmo.

Para quem quiser aprofundar o conhecimento táctico, fica o convite feito: FIQUE POR AQUI – há sempre máterias novas a sair

Fui espreitar o grande rival do Flamengo na luta pelo Brasileirão, e as diferenças COLETIVAS, ou seja, naquilo que é o trabalho do treinador são gigantescas. Enquanto o Flamengo hoje é uma equipa que se comporta de acordo com os princípios tácticos das melhores equipas europeias, o Palmeiras é ainda uma equipa de Brasileirão – Onde predomina o INDIVIDUAL.

Em Organização Defensiva:

Não há referências coletivas – Os defesas centrais ficam muito baixos, há muito espaço entre estes e os médios. Os laterais posicionam-se em função do posicionamento dos adversários, não formando linhas no campo em função do posicionamento dos centrais. Ou SEJA – NÃO HÁ DEFESA À ZONA – NÃO HÁ REFERÊNCIAS PRÓPRIAS – A referência para defender vem do que faz o adversário, e com isso, o Palmeiras está refém do que fizer o opositor.

As melhores equipas Europeias, e o Flamengo, são hoje equipas que defendem por linhas – e que só trocam este comportamento de controlo em fase defensiva quando vão pressionar. Mas, mesmo quando saem para pressionar, fazem-o de forma conjunta e respondendo a indicadores que todos entendem.

Exemplo de Organização Defensiva, explicada no CANAL 11 (aqui)

Em Organização Ofensiva:

O Palmeiras, um pouco à semelhança do que vem sendo a selecção brasileira de Tite, não chega com muitos à frente – A equipa fica muito longe (defesa muito afastados dos avançados) e com isso não só obriga a que seja o INDIVIDUAL a resolver problemas para a equipa – COLOCA APENAS 4 jogadores em zonas onde podem criar contra uma infinidade de adversários – O que obriga esses 4 a ter de resolverem ofensivamente os lances contra muitos adversários em pouco espaço, como quando perde a bola, NÃO CONSEGUE RECUPERAR IMEDIATAMENTE – Isto porque os jogadores estão longe uns dos outros, e consequentemente longe da zona da perda. A equipa não se prepara para perder a bola!

Sobre isto da Transição Defensiva – Preparação para perder a bola pode perceber do que se trata aqui.

Por Video tento explicar o que considero certo ou errado, naquelas que são as diferenças maiores TÁCTICAS do que fazem as equipas competentes e organizadas para o que faz uma maioria do que se vê ainda pelo Brasil.


MAIS CONTEÚDOS EXCLUSIVOS  na página de patronos deste projecto. Recordamos que 1 dollar mês será desde logo uma grande ajuda, e suficiente para poder ver tudo o que é por nós produzido
ACESSO A TODOS OS JOGOS DO MUNDO

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3682 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

29 Comentários

    • Parabéns pela excelente análise!

      É uma grande pena os treinadores e comentaristas brasileiros não levarem isso à sério. Por isso que estamos em todo este abismo de diferença tática e administrativa para o futebol europeu.

  1. Boa tarde, prezado Paulo!

    Não conhecia o seu trabalho, mas pelo que noto à primeira vista, merece elogios: parabéns pela qualidade e seriedade.

    Gostaria de te pedir uma gentileza/pontuar uma sugestão: para que se tenha uma “amostra” mais representativa, você poderia fazer a mesma análise após assistir o primeiro tempo – pode ser os 30 primeiros minutos – do jogo Palmeiras 3 x 0 São Paulo, disputado há quase uma semana?

    Muito obrigado! Saudações!

  2. Cordialmente lhe cumprimento, sr. Paolo. Me chamo Régis e sou de uma pequena cidade do interior do Brasil. Uma boa conversa sobre qualquer assunto vai muito bem, especialmente se o assunto for futebol. Neste artigo, o sr. analisou o atual campeão do Brasileirão e que inclusive (pasme) neste 2019, faz a melhor campanha de sua história. O que todos falam por aqui é que o Flamengo do mister está “acima da curva”. Acredito que muito abaixo da curva está o modo de pensar, jogar, comentar e viver o futebol no Brasil. Não distante, a seleção brasileira de futebol foi eliminada nas últimas 4 copas do mundo por 4 seleções europeias diferentes: França (2006), Holanda (2010), Alemanha (2014) e Bélgica (2018). O futebol praticado aqui pertence somente à sorte das individualidades. Para o analista brasileiro, treinador sempre foi ator secundário. Dos cinco títulos mundiais conquistados. três méritos pessoais de Pelé, um de Romário e por fim o de Ronaldo (Fenômeno). É com este Brasil que facilmente dialoga. Jorge Jesus me remete à Pedro Álvares Cabral, História que não me faz pensar de outro modo a não ser continuarmos como coadjuvante colônia comandada pelo protagonismo português. Saudações (rubro-negras)

    • uma grande besteira falar que o Brasil ganhou copas na individualidade, tds selecoes que o brasil foi campeao ganhou no coletivo, claramente alguem vai decidir… so aparece individual de um time campeao quando um time eh coletivo, a selecao de 2002 era coletiva sim, pare de ficar ouvindo mauro cesar e vai estudar futebol

      • Time de 70 era, se comparada aos dias atuais, uma equipe amadora com bons jogadores. Não existia tática ou intensidade. Ganhava porque o futebol estava nos primórdios e alguém teria que ganhar. Lembra como saiu o gol da Itália na final? Aquilo é inimaginável nos dias atuais. Parabéns JJ. Parabéns aos europeus por nós reiniciar a jogar futebol de um modo mais inteligente. No Brasil aí da se joga como amador com bom condicionamento físico.

        • Caro Wilson,

          Em 1970 o futebol já existia há mais de 100 anos, portanto não estava nos primórdios. Recomendo a leitura do livro “A Pirâmide Invertida”, sobre a história da tática no futebol. Em 1970 o futebol já havia passado por muitas revoluções táticas, e estava bem longe dos primórdios.

          Forte abraço.

      • A única seleção que era coletivamente perfeita, não ganhou a copa, q foi a seleção de 82. As demais sempre jogaram individualmente

      • No Brasil se espera muito pelo individualismo do jogador. Enquantona Europa trabalhamuito a tática e consequentemente o coletivo…

    • Sr Paolo, nos perdoe pela arrogância do Sr.Regis, ele acredita que o fato de times serem campeões basta para dizer que jogam melhor e a história mostra que não é assim porque no futebol tudo é possível, inclusive jogar mal e na retranca e ainda sim ser campeão.

  3. Sou do Rio de Janeiro e torcedor do Flamengo e já vi o meu time ser campeão brasileiro e copa do Brasil, mas nunca vi jogar de forma intensa como agora.
    aqui no Brasil já tivemos equipes ofensivas como: palmeiras(1993)cruzeiro(2003)santos(2004)alguns exemplos, mas verdade seja dita os treinadores passaram a vida jogando em cima da individualidade de jogadores como Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho, Adriano… e nunca procuraram estudar Tática como faz J.J, Nuno Espírito santo, Leonardo Jardim, Carlos Queiroz… entre outros grandes treinadores portugueses.
    A partir de agora vou sempre acompanhar aqui as postagens por que aqui no Brasil não se fala de tática nos programas esportivos. e vendo essa postagem
    começo a perceber que a tática aliado a talentos individuais a Seleção Brasileira, pode se tornar muito poderosa frente aos europeus e enfim voltar a ganhar Copa do Mundo.

    • quanta bobagem, essas esquipes vencedoras do passado eram modernas intensas, para com essediscursinho barato de mauro cesar, de menosprezar o passado, tds selecoes do brasil que foram campeas tive muita tatica e esquema coletivo, 1970 nao era uma selecao tatica? umas das selecoes maisw intensas do mundo, parem de falar besteira com essas sindromes do mauro cesar.

  4. Boa tarde Pedro. Sou torcedor do Flamengo e gosto muito das suas análises. Gostaria que você fizesse a análise tática do River Plate, rival do Flamengo na final da Libertadores. Obrigado

  5. Tive uma noção de tática como nunca tinha visto antes tão bem explicada. Por isso que vemos no futebol brasileiro, incluindo a seleção brasileira, valores individuais excepcionais, mas que coletivamente deixam a desejar, ou seja, equipes mal treinadas taticamente. Tenho certeza que a vinda do Jorge Jesus ao Brasil deixou uma pulguinha atrás da orelha de muita gente ao se dar conta do quanto estamos retrógrados tecnicamente falando.
    Parabens pelo trabalho! Abraços!

  6. Que video oportunista, pq nao apareceu pra fazer analise do time que ganhou 2 brasieiros e 1 copa do brasil antes ? 37 jogos invictos ano passado no br, eu consigo tirar varios prints de lances indenticos com o timedo flamengo,voce vem aqui babar ovo desse tecnnicozinho de bosta, que um time que recebe 300% a mais que tds outros times da liga favarecido por uma tv manipuladora, flamengo eh menor que tds os times de sp em titulos… um time comum em titulos de torcida grande e sem grande expressao esportiva.

    • Há uma coisa chamada arquivo que está aí para ser consultada. Vai encontrar diversas análises relativas ao Brasileirão. Boa sorte. O seu comentário é típico da cegueira futebol-clubista que se vive por estes dias (já longos anos, aliás) no Brasil. Cheios de pernetas e ainda querem gritar.

    • Meu caro, teu nível é muito baixo para estar aqui, volte para a caverna de onde você veio, caso não tenha compreendido a conversa que aqui está transcorrendo.

    • Flamengo não tem grande expressão? Cara o flamengo tem a maior expressão do Brasil, o nome flamengo da mais dinheiro pra quem falar bem ou mal, o nome flamengo ajuda a todos, por amor e pelo ódio.

    • Amigo Carlos, nao baixe o nivel. Nao compare salarios nem titulos, apenas compare o futebol apresentado. O que venceu e o que jogava nao sera o que vai vencer, porque nao e o que joga. E uma analise puramente tactica, e sim, eu que nao acompanhava o campeomnato Brasileiro e agora estou acompanhando, fico um pouco surpreendido por vezes, pela falta de colectivo gritante. JJ se mudar de clube vai colocar a equipa a jogar assim em 1 mes, voce vai ver… pode perder, pode ganhar, e futebol, mas jogam como ele quer, como ele manda, porque assim estao mais proximos de vencer. Nao terao a mesma qualidade individual do Flamengo, mas o Flamengo com essa individualidade a jogar “cada um por si” tambem levaria baile, pode crer.

  7. Ótima análise até para os mais leigos entenderem, cheguei até esse site através de um vídeo do Mauro Cezar e gostei do que li. Faça uma análise dessas se possível do trabalho do Gallardo que estão especulando até assumir o Barcelona. Saudações

  8. Óbvio que todos seguidores do Jorge Jesus vai ser contra o campeão do brasileirão de 2018 e logo 2019.Com esta tática de individualismo do Palmeiras é que vamos ser novamente campeão,escreve ae.Sabe de nada inocente.

  9. Boa analise deste conhecedor de futebol! sou angolano acompanho bastante o fla desde a era jj no fla. para o senhor Mauro Cesar, gosto imenso dos seus comentários vêce que é um grande conhecedor de futebol.

  10. Acabei de descobrir o site, por causa do Mauro Cézar, curti de mais, sou Palmeirense, mas concordo 100% com tudo que foi dito.

  11. Bom dia,

    Poderia analisar Palmeiras 3 x 0 São Paulo????

    Seria bom para termos uma comparação, mas o seu trabalho é muito bom, só não acho justo usar o nosso pior jogo no campeonato como comparação.

    Somos Campeões da Copa do Brasil de 2015, Campeões Brasileiros de 2016, Vice Campeões em 2017, Campeões Brasileiros em 2018 e estamos em segundo lugar em 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*