A hora de Gabriel Pires

Muitas são as vezes em que o rendimento de Gabriel não corresponde ao seu potencial. Essencialmente porque há jogos em que parece querer assumir por completo a saída para o ataque e não discernir convenientemente o momento de “arriscar” ou não na execução dos passes de maior complexidade – Perde muitas bolas quando assim o é, e nenhuma grande equipa se faz de jogadores que perdem com facilidade a posse, e também porque se perde em “picardias” que lhe retiram o foco do que importa e o levam a abordagens intempestivas que prejudicam sempre a sua equipa.

No novo modelo ofensivo do Benfica, agora assente em três médios, assumiu o papel de número seis, e é nesse espaço que tem apresentado um rendimento bem mais elevado que outrora.

A sua capacidade para vencer duelos, recuperar bolas seja em Organização Defensiva mas também em Transição, e a forma como entrega a bola para os espaços mais perigosos tem impressionado bastante desde que passou a estar rodeado por Taarabt e Chiquinho.

Por cima ou pelo chão, por entre adversários, a rapidez com que decide e faz a bola entrar em zonas de criação com os seus constantes passes ofensivos – por dentro ou por fora – proporciona ao Benfica muita chegada ofensiva.


Por 1€ mês pode ter acesso a conteúdos exclusivos bem como a videos de todos os jogos e jogadores do mundo – Registo na nossa página de patronos (aqui)


Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3735 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

11 Comentários

  1. O melhor do Benfica ontem. Enorme capacidade de pressionar e roubar a bola logo à saida do contra ataque e tem a vantagem de lançar imediatamente e com critério novo ataque. Mas continuo a achar q quando os adversários ultrapassam a primeira linha de pressão do Benfica, os dois do meio-campo são muito lentos a recuperar. Isso com equipas que saiam bem para o ataque vai ser um problema. Imagino este meio campo contra um Liverpool ou Real Madrid! Ou mesmo com um porto com a capacidade que tem de jogar direto! Cervi é o único rápido nesse momento. Gabriel, Taarabt e Pizzi são lentíssimos.

    • Penso que é aí que faz sentido entrar Florentino, mesmo que, nesta fase, se perca alguma capacidade de virar jogo que Gabriel tem e o Florentino ainda precisa de ganhar…

    • Florentino é dos poucos do actual plantel do Benfica que acredito poder vir a jogar num grande clube do futebol mundial, sim. Porquê?

    • Quero acreditar que o Lage esta a formatar o Tino para o jogador que ele precisa nesta nova dinâmica, porque ainda precisa de evoluir no momento com bola. O talento está lá e às vezes só é preciso trabalhar mais um ou outro ponto

  2. bom dia,
    aproveitando a picardia e tentando converte-la em algo mais construtiva, que faltará ao florentino para ser titular no benfica neste modelo de jogo.

    abraços a todos,
    JC

    • Pegando na picardia-que-nao-o-era e não sendo isto mais do que uma opinião, precisa de acrescentar a nível de construção aquilo que acrescenta a nível de recuperação.

  3. Ontem fez um bom jogo, sem dúvida, mais recuado e a mexer menos na bola (sem se esconder) faz sempre mais sentido para o Gabriel. Defensivamente é um atleta muito forte.

  4. Sim, grandes transições defensivas no golo do Braga e no golo anulado…

    E no golo do Vizela…
    E no 2-2 do Lepzig…

    Enfim, mais vale cair em graça…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*