O esboço do Braga de um Rúben fora da caixa

O resultado do Sporting de Braga na estreia de Rúben Amorim foi para lá de estrondoso. Vitória por sete a um na capital perante um frágil Belenenses, mas que havia travado o FC Porto.

Para tal terá contribuido também a surpresa táctica que Amorim trouxe para o seu modelo.

Em Organização Ofensiva, Rúben Amorim resgatou a estrutura de um passado recente – Os exactos mesmos posicionamentos que Abel Ferreira treinava na temporada passada – E com isso terá trazido de volta hábitos confortáveis para a sua equipa.

Posicionamentos bem delineados que com movimentos garantem muita proximidade de apoios – Boa Tomada de Decisão em definições importantes – Quando rodar? Quando tocar de frente? Como rodar? – E o Sporting de Braga foi arrasador em todos os momentos ofensivos.

Sem bola a novidade maior – Organização Estrutural em 5x4x1, com Transição Defensiva a permitir que extremos (Trincão e Ricardo Horta) possam chegar mais tarde, sem que equipa perca o equilíbrio.

Destaque para: – Bons timings e boa coordenação na pressão, para quem tem pouquíssimo tempo de trabalho; Boa percepção do momento e boa reacção à perda – No Centro do Jogo e fora deste, precavendo entrada da bola em homens livres.


Por 1€ mês pode ter acesso a conteúdos exclusivos bem como a videos de todos os jogos e jogadores do mundo – Registo na nossa página de patronos (aqui)

1 Comentário

  1. Amigos. Admiro demaaais o trabalho de vcs!
    Sou um brasileiro. Hoje vivendo na Nova Zelandia.
    E também Adoro analisar o futebol com o cerebro como vocês brilhantemente o fazem.
    Neste sentido, queria partilhar uma reflexao. Em relacao a qual poderiamos retornar, para aprofundar o debate, caso vcs achem pertinente. Assim como a outros temas que ficaria muito feliz em partilhar com vocês.
    Observamos hoje uma crise mundial na producao de bons laterais. Ambos para a esquerda e a direita.
    Me pergunto se a “posicao” lateral nao eh uma ideia antiga, que tornou-se obsoleta para o intenso futebol atual.
    Em tempos idos, quando o futebol era menos um esporte para super atletas, e havia “mais espaco” em campo, um jogador com razoaveis capacidades defensivas, Bom passe e forca para subir e descer de goleira a goleira Podia bem cumprir um papel de lateral.
    Hj, com o futebol de altissimo rendimento do sec XXI, me parece humanamente quase impossivel se esperar que alguem cumpra tal funcao.
    O que me remete a duas outras conclusoes, tb abertas ao debate e as quais poderiam merecer novas reflexoes.
    Hipotese 1: deveriamos comecar a ter outras exigencias para os laterais nos dias presentes. Talvez esperar deles maior intensidade defensiva (ou ofensiva), Mas remodelando tb outras posicoes e expectativas. Para que se cobrisse a carencia que os laterais deixariam mais a frente ou atras, dependendo da escolha dos treinadores.
    Hipotese 2: Talvez seja a hora de testarmos, insistirmos e aperfeicoarmos outros modelos de jogo, a exemplo de 3 zagueiros, de forma a sequer exigir a presenca dos antigos laterais. Liberando tais talentosos e dedicados jogadores para desenvolverem novas funcoes, mais adaptadas ao futebol contemporaneo.
    O que lhes parece?
    Abraco forte. Cheio de admiracao!

1 Trackback / Pingback

  1. Fechar – Sair – Vencer no Dragão – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*