Curtas – Braga mais competente, vence na Luz

  • jogo muito esperado na Luz, entre um Benfica que vinha de dois resultados negativos, e um Braga de Amorim, que se tornou uma das melhores equipas em Portugal. O jogo não defraudou, e ganhou quem foi mais competente, mais organizado, e estrategicamente foi melhor preparado para o relvado;
  • Braga condicionou o Benfica muito alto, sobretudo com os extremos a fechar de fora para dentro e depois encurtarem para roubar;
  • Benfica com grande dificuldade para ligar fases, quer construção para criação, como de criação para finalização, mas ainda assim criou na primeira parte o suficiente para construir um resultado diferente;
  • Dinâmicas e princípios de jogo do Benfica, muito estranguladas estrategicamente pelo Braga;
  • Com isso, viu-se um Benfica a usar e abusar de cruzamentos…. e sobretudo do jogo para o espaço, incidindo predominantemente em Vinicius e Rafa;
  • Braga dominou melhor os momentos de organização do jogo, tanto defensivo como ofensivo. Nas transições, encontrou sempre mais espaço que o Benfica. a equipa de Lage, nunca conseguiu “abafar” as transições ofensivas do Braga;
  • Não se compreende a colocação do melhor marcador da temporada passada no corredor para fazer cruzamentos (Seferovic), assim como Pizzi a fazer de Lateral direito, quando a equipa exactamente nesse momento precisa de mais critério em criação e finalização;
  • Destaque para toda a linha defensiva do Braga, pelos constantes duelos ganhos, pelo posicionamento competente no jogo longo do Benfica, e como o primeiro passe entrou sempre entrelinhas e conseguiu sempre entrar nas costas dos médios do Benfica. Destaque ainda Palhinha, pela sua capacidade de proteger linha defensiva do Braga, e ser extremamente forte na transição defensiva que permitiu ao Braga estar mais equilibrado no jogo;
  • Destaque no Benfica, para Adel, que continua a ser um jogador distinto dos demais, a sua capacidade de criação é soberba, (embora por vezes arrisque demasiado e cometa alguns erros) a sua disponibilidade física e atitude é de louvar, sobretudo para um jogador que era um desequilibrador nato quando apareceu na alta roda do Futebol Mundial.
Avatar
Sobre Zanetti 20 artigos
Treinador De Futebol, com passagens por clubes do Campeonato de Portugal. Licenciatura em Ciências do Desporto.

12 Comentários

  1. A pergunta que me parece impôr-se é: quanto disto é culpa de Bruno Lage? O que é que Lage pretende quando põe três atacantes em campo e começa a fazer chuveirinho? E faltam-lhe jogadores de qualidade (para poder sentar Grimaldo e Ferro), ou foi ele que esgotou as ideias que tinha (e já não dispõe de um João Félix para resolver tudo)?

    A defesa do Braga fazia lembrar a do Jesus, que punha toda a gente em fora-de-jogo (presumo que o Rúben tenha aprendido umas coisas enquanto jogador dele). É parecida, na vossa opinião?

    Obrigado.

  2. Hoje não vi o jogo no estadio, como é habito, e como tal fico influenciado pela tv e apenas pelas zonas onde a bola circula.
    Eu vi dois benficas distintos, um em cada parte essencialmente pelo golo (caido do ceu).
    Na primeira vi um benfica organizado, a pressionar alto e a por o braga no bolso, destancando-se a falhas imperdiveis do vinicius (não é normal e tem feito com isso diferença no benfica). Destaco o lance a tres toques: Passe de 60m do ferro a desmarcar num buraco pequeno o pizzi que de primeira cruza e o vini falha à infantil!!!
    No golo, o ferro demorou a reagir e o palhinha marca sozinho… O braga nao fez nada de realce na 1ª parte, onde apenas teve acerto na linha defensiva. Mesmo assim o benfica teve 3 bolas de golo.
    A segunda parte, o benfica bem tentou, mas novamente quando poem o esferovite perdeu o jogo, pois o benfica desliga, confirmando falta de treino/rotinas a jogar com 2PL. Concordo em absoluto que não percebo como a jogar com 2 PL se espera deles velocidades e cruzamentos!! Não combina com o tipo de jogadores que são, principalmente o vinicius.
    Novamente (a exemplo flagrante do porto e outros) o Lage têm alturas de paragem no pensamento e denotaa fraca leitura e consequente mudança de abordagem que carece de treino (esta ultima parte a mais grave). Quando poem o Dyego que é desespero puro, mas com isto entrega literalmente o jogo ao adversario, pois coloca apenas duas linhas em campo: 4 defesas em linha e 6 avançado tambem em linha e todos estáticos. Isto é treino, ou falta dele.
    Por ultimo deixo 2 notas e um pedido:
    – A saturação mental e desmotivação!! com que o jogadores a partir da entreda do esferovite encararam o jogo, faltando garra, atitude e movimento de treino.. excepção para o taarabt e dias. Creio que a explicação esteja no extremo cansaço provocado pela má gestão do plantel a todos os niveis (minutos de jogo e falta de jogadores em determinadas posições)
    – Na segunda parte a atitude ou falta dela, e a não entrega fisica através verticalidade no corredor direito pelo tomas tavares. Voces (LE) apelidavam-no de perna longa, mas ele mostrou foi pouco arrojo e pouca disponibilidade de corrida. Fraco.

    — O pedido prende-se com a vossa analise ao lance (creio no minuto 76) onde o r.horta falha o golo, com grande intervenção do ody.. Mostrem o lance desde o momento de perda de bola do benfica e como o ferro e principalmente o grimaldo abordam o lance, sendo os dois papado em tabela 2×1. Reforço a má pressão e posicionamento do grimaldo que permite tudo no inicio e depois tudo se transforma.

  3. Boa noite,

    Benfica muito bem a sair da pressão do Braga. Quase sempre a sair com perigo, aproveitando onde Braga (com essa pressão) deixava espaço. É uma opinião contrária ao que escreveu, pois não consigo perceber o que Braga ganhou com a estratégia de pressionar alto e com extremos a intensificar no corredor, quando Benfica saiu sempre da forma mais fácil (aproveitar espaço).

    Complicou com o golo sofrido, e Braga na segunda parte, jogando mais em intermedio, sempre equipa mais equilibrada e perigosa.
    Mas não só mérito de Braga*

    Benfica criou várias oportunidades, onde poderia ter feito um resultado tranquilo na primeira parte.

    Ferro fez uma primeira parte de nível alto, até ao golo sofrido. Onde se encontra demasiado fora (embora canto para fora), mas sobretudo pela reação tardia.

    *Lage, assim como no dragão (embora jogos diferentes), perde o jogo quando mexe. A insistência em Seferovic (no início a titular e agora 1a opção a entrar) está a custar caro. Não se percebe aliás. É injustificável, pois justificação nunca poderá ser o que o jogador rendeu na época anterior.

    Lage mexe, e a verdade é que a equipa passa a jogar pior… Volta a colocar os 3 na frente com que sentido? Qual a justificação? Ele sabe isso.

    Outra opção falhada acaba por ser chiquinho. Porque tem de entrar um jogador, para uma posição onde se encontra totalmente fora de água? Consegue tirar gente dos corredores na altura em que mais fariam falta (equipa Braga mais baixa).

    A gestão durante a época da equipa não correu bem a Lage. O plantel do Benfica foi ficando curto com essa gestão.

    Falar de Diogo Gonçalves (bom), de trincao (bom) e vermos um Jota sem jogo faz alguma confusão a quem os conhece.
    Lage também sabe isso, mas a gestão correu mal…esperemos que esqueça esses receios e volte a tentar ganhar alguns jogadores. Não falo em coragem de os meter, pois coragem é meter quem não tem qualidade (caso do seferovic neste momento).

    Outra questão é a pressão (já aqui elogiada) de Vinícius (dentro para fora). Tem sido repetitivo este comportamento, fácil de contrariar. Ainda mais com uma equipa sem confianca, onde meio e defesa está presa uns valentes metros atrás. Ok, resultou em Famalicão, mas quantas vezes não resulta… Criar um desgaste desnecessário portanto. Não se estranhe o cansaço acumulado começar a ter interferência no momento da finalização.

    As bolas paradas ofensivas são também algo que Benfica deve analisar…

    Adel concordo. Tornou-se o melhor jogador deste campeonato.

    Vamos ver se Lage e a sua equipa técnica, consegue nesta reta final trazer a Equipa a jogo, e não apenas 11 jogadores. Passará por aí (incluir maior competitividade nas posições… Não era este o discurso inicial!?), a aproximação ao sucesso nesta época.

    Braga e Famalicão acabam por ser equipas muito fortes (confortáveis na posição de não terem o peso de um grande), as equipas que melhor jogam em Portugal, que melhor mostram que o futebol é mais que o talento individual do jogador (também têm esses jogadores).
    Porto é a equipa que habituou nos últimos dois anos, com um poderio físico marcante e com uma forma de jogar que afasta a equipa da regularidade (infelizmente). A quebra física esteve na origem de outras perdas, vamos ver como será nestes meses que faltam. A diferença, é que nesta época as opções são outras. Tem havido essa rotatividade e Porto pode beneficiar com isso. Ver o Alex Telles da época passada e dos primeiros meses desta época e ver agora este… Grimaldo (o melhor lateral da época passada e da primeira fase desta época) está a passar por isso nesta fase decisiva (com maior barulho é verdade…).

    Falar do Braga indivialmente, tem que se falar de Fransergio. Assustador de momento.

    Cumprimentos

  4. Eu diria que não obstante da competência do Braga o que influenciou o jogo foi a incompetência do Benfica. Incompetência em ganhar duelos, incompetência na transição defensiva, incompetência em proteger o lado mais fraco (mais um par de ocasiões pelo lado esquerdo….) e principalmente e aqui está o grande problema do Benfica, incompetência em conseguir uma taxa de acerto digna de quem ser uma equipa de topo regular. A equipa estende-se em campo, sofre imensamente na transição defensiva e depois na organização ofensiva não há plano, não há movimentações (seja de rotura, seja de apoio, etc). Neste momento o Benfica é uma equipa amorfa de ideias e pode até ganhar o campeonato mas tem de reinventar-se para que possa ser alguma coisa lá fora.

  5. sou o único a achar que o golo do Braga surge por uma má decisão do Ruben dias? Em que ele sai da sua zona ( onde acabou por aparecer o palhinha para cabecear) para acompanhar um jogador que se desmarcou para a zona do 1°poste onde o Benfica já tinha 3 jogadores a proteger essa zona deixando um buraco enorme em zona frontal e o Ferro ao perceber do erro do Ruben em sair daquela zona tenta ajustar o posicionamento e acompanhar o palhinha mas já não vai a tempo

    • O Ferro é lento a reagir, há que dizer, mas este é um erro muito recorrente no Rúben Dias, que também me parece o principal culpado (se não se tivesse deixado arrastar teria cortado a bola sem dificuldade). Mesmo em bola corrida agarra-se muitas vezes a referências individuais em vez de respeitar a zona. Como corre muito depois fica sempre fácil culpar o Ferro, que, ao contrário do que tinha acontecido nos últimos jogos, ontem até fez um jogo muito competente (o único outro lance mau que me ocorre é o da tabela em que ele e o grimaldo são batidos, e mesmo assim o grimaldo até me parece mais responsável, sendo que de resto fez uma série de cortes importantes e mostrou o que sabe com bola).

  6. 1 – Quando uma equipa que nunca ganhou o campeonato ganha com o seu novo treinador 5 jogos contra os habituais candidatos no espaço de cerca de dois meses, o destaque tem que ser essa equipa e esse treinador.
    É tão demérito do treinador do Benfica como foi demérito dos outros treinadores que defrontaram o Braga. Ou seja, é sobretudo mérito do Rui Amorim!

    Aquilo que o Braga fazia, agora faz melhor.
    A minha iletrada intuição diz-me que tem mais a ver com o posicionamento, com o saber ficar, do que com o movimento, com o correr.

    PS: Já viram os podcasts do Gérson Canhotinha de Ouro, do Brasil de 1970? Que delícia… O homem fala de bola meio por palavras, meio por gestos. As elipses dele são uma autêntica poesia.

  7. Esqueci-me de dizer uma coisa. (Os velhos, novamente os velhos). O pai de um amigo chegado, aos meus elogios ao Bruno Lage, no princípio da época, disse-me que os treinadores são todos bons a princípio, a questão é conseguirem-se manter acima.

  8. Não me parece muito correta a análise mas eu sou um leigo. Acho que o Braga controlou como quis. As oportunidades do Benfica não foram criadas, foram na base da pressão e uma delas sai dum charuto do Odysseas. O linha defensiva do Amorim, não top top mas muito parecida à do JJ. Aprendeu com o melhor. Penso que o Braga perdeu uma boa oportunidade para ser campeão. Sá Pinto não lembra a ninguém.

  9. O SLB faz meses que anda jogando mal, todavia neste jogo em específico , creio que a tal aleatoriedade do jogo que se fala por vezes neste blog falou mais alto, Rafa Cervi e Vinicius , etc na 1ª parte com oportunidades flagrantes para marcar, não o fizeram , num dia bom o SLB teria ganho o jogo tranquilamente, todavia a falta de eficácia não ajudou, até a saída de Cervi, como depois o alemão a sair , e a equipa quando fica a jogar com 3 avançados , aí sim começou um desastre que vai além da aleatoriedade do jogo…

Responder a João Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*