Os caminhos do Alto Rendimento – Pep Guardiola

O alto rendimento é uma identidade que tenha diversas formas de actuar. A estratégia, que é a selecção dos recursos para chegar à vitória, é típica do alto rendimento.
Francisco Silveira Ramos

Mais do que nunca os caminhos do Alto Rendimento no Futebol não têm como ignorar o lado estratégico, sob pena de fracassos retumbantes.

O pormenor e a minuciosidade é de tal forma elevado que ignorá-lo é até ficar enfraquecido perante um grupo de trabalho, que hoje no alto rendimento mais do que nunca “exige” o plano e a estratégia em função de comportamentos base adversários.

Todo o jogo se desenha não apenas nos meus comportamentos base mas na percepção sobre como os enquadrar em função dos comportamentos do adversário. Só mesmo quem apenas assiste ou lidera a níveis baixos (escalão etário) pode ignorar que há opositores do outro lado – Por mais qualidade que a sua equipa tenha.

E nos dias que correm já nem surge apenas numa perspectiva de aproximar do triunfo. É também uma questão de liderança. A minuciosidade do plano de jogo assim o obriga.

Só alguém muito distraído, que tenha vivido numa realidade completamente paralela aos caminhos do Alto Rendimento no Futebol ficou surpreendido com a “cátedra de futebol” que Pep deu depois de sair de Santiago Bernabéu em vantagem na Liga dos Campeões.

Não haverá no futebol mundial treinadores com maior minuciosidade no plano de jogo – no lado estratégico do que Pep Guardiola.

O jogo evoluiu a um ritmo alucinante e ter o “olho bem aberto” ligado à compreensão de como se maximizam possibilidades de vencer é mais do que nunca diferenciador para quem pretende compreender os caminhos do Alto Rendimento, onde tudo importa.

Não conseguimos pressionar o Benfica alto, não conseguimos controlar, o Benfica entrava por fora, entrava por dentro. Fomos uma equipa apática ao longo de toda a primeira parte, mas retificámos ao intervalo, ajustámos algumas posições, conseguimos pressionar alto, conseguimos controlar o jogo do Benfica. Enquanto na primeira parte ficámos encostados, na segunda conseguimos jogar e mostrar muito mais qualidade.

Luís Castro, sobre as alterações que lhe permitiram resgatar a eliminatória contra o Benfica


Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*